Aquando das comemorações dos 390 anos do início da construção do Convento do Bussaco, Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, referiu que “está a ser terminado um projeto de execução para video-vigilância, durante vinte e quatro horas por dia, na Mata do Bussaco”.

“Queremos introduzir essa medida em algumas zonas da Mata do Bussaco, de forma a que a congregação das imagens seja toda feita em apenas um local”, explicou o autarca, adiantando também que a medida, cujo o investimento “é avultado”, surge a partir de um contrato “entre o Estado, a Câmara e a Fundação”. “Queremos guardar o Bussaco como um tesouro”, acrescentou o edil, garantindo que, “ainda este ano, haverá um pequeno desenvolvimento” sobre esta matéria.

Já na questão ambiental, António Gravato, presidente da Fundação, fez saber que, anualmente, “os cento e cinco hectares da Mata do Bussaco sequestram cinco mil toneladas de carbono, que é transformado em oxigénio”, o que contribui, assim, “para um ambiente mais saudável”.