A exposição “Convento de Santa Cruz do Bussaco” foi inaugurada, na manhã de ontem, dia 10 de julho, e pode ser vista, no Casino do Luso, até 31 de outubro de 2018. Este ano, e primeira vez, será cobrado um euro por cada entrada, valor que reverterá para a recuperação de peças do espólio do Convento, que atualmente está em obras.

Ligada à prática eremítica dos Carmelitas Descalços e à ação reformadora de Santa Teresa de Ávila, a exposição é promovida pela Fundação Luso em parceria com a Fundação Mata do Bussaco e a Direção Regional de Cultura do Centro.

“Desde 2014 que realizamos, anualmente, uma exposição com referência ao Bussaco”, declarou Nuno Pinto Magalhães, presidente da Fundação Luso, referindo que “a ligação da água do Luso ao Bussaco ‘é tão natural como a sua sede’”, por ser na Serra que está o seu aquífero.

Em 2018, e pela primeira vez, cada entrada tem um custo de um euro, para maiores de sete anos, e as receitas reverterão “para a recuperação e restauro de algumas das peças expostas que se encontram em elevado estado de degradação”. “A média de visitação, dos últimos anos, é de quarenta a quarenta e cinco mil visitantes. O que é já um número bastante significativo”, declarou Nuno Pinto Magalhães.

O investimento da exposição “foi de cerca de vinte mil euros”, tendo sido a maior dificuldade a da “deslocalização das peças de arte sacra do Convento para o Casino do Luso, atendendo ao seu estado de degradação, o que implicou uma preparação e acompanhamento por parte dos técnicos da Direção Regional de Cultura do Centro”.

Uma colaboração que Celeste Amaro, Diretora do organismo, diz ser uma “obrigação”. “O Convento, as Ermidas e tudo o que está dentro da Mata pertence ao Estado, logo é nosso dever ajudar”, declarou.

Presente na cerimónia inaugural esteve D. Virgílio Antunes, Bispo de Coimbra precisamente há sete anos (feitos ontem), que, no seu discurso, enfatizou a temática da exposição. “Estamos perante uma mostra de dimensão espiritual da expressão artística, que é fundamental na sociedade”, declarou, desejando que a exposição “ajude milhares de pessoas a entender melhor a história do Convento”.

A exposição aberta ao público, no Casino do Luso, desde ontem e até 31 de outubro, de terça a sexta-feira, das 10h às 13 horas e das 14h às 20 horas, e aos fins-de-semana e feriados, das 15h às 20 horas. “Nela” encontra-se “um conjunto de pinturas em óleo sobre tela, madeira e cortiça, esculturas policromadas em suporte de madeira, bustos relicários, grupos escultóricos em suporte cerâmico e paramentaria religiosa, do século XVII ao século XIX”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Galeria de fotografias, de José Moura, em https://www.facebook.com/bairradainformacao/