A Osteopatia Visceral é uma vertente da Osteopatia que tem como objectivo melhorar o funcionamento dos órgãos e vísceras, tentando estabelecer uma boa relação entre eles, entre o sistema estrutural e o sistema nervoso.

Todos os nossos órgãos e vísceras estão intimamente relacionados com a coluna, pois é daqui que saem os nervos que permitem que o nosso sistema visceral funcione. Sendo assim, tem de haver uma boa relação entre a parte estrutural e visceral, havendo uma disfunção quando esta harmonia estiver perturbada. E quando falamos de disfunções viscerais, podemos falar da alteração da mobilidade (movimento que a víscera adopta em relação às outras,  consoante as posturas corporais e o músculo principal da respiração, o diafragma, durante o ciclo respiratório), motilidade (movimento tridimensional que a víscera apresenta sobre si mesma), diminuição da vascularização, ptoses (alteração do posicionamento da víscera devido a enfraquecimento dos ligamentos, por ex.), aderências causadas por inflamação ou cirurgia, posturas incorrectas ou alterações estruturais da coluna (principalmente escoliose), entre outras.

Falando de Osteopatia Visceral também temos de falar obrigatoriamente na fáscia, que é muito importante mas muitas vezes esquecida. A fáscia é um tecido conectivo que envolve as vísceras e os músculos e permite o deslizamento entre eles, “fixa” as nossas vísceras aos ossos e é ela que mantém todo o nosso corpo unido. Estando a fáscia inserida nos ossos, envolvendo as vísceras e músculos, qualquer alteração de uma destas partes poderá levar a uma alteração das outras. Logo, podemos afirmar que o corpo humano é um todo, indivisível e a alteração de um orgão pode repercutir em forma de dor local ou à distância. Por isso uma disfunção do estômago pode levar a uma dor no ombro esquerdo ou uma disfunção do fígado pode levar a uma dor no ombro direito. Porque a fáscia que envolve o estômago e o fígado é a mesma que passa pelo ombro esquerdo e ombro direito, respectivamente.

Num tratamento, o ideal é conciliar um tratamento global para que todas as estruturas possam restabelecer o seu equilíbrio, usando técnicas de Osteopatia visceral, estrutural e sacro-craniana.

 

Algumas indicações da Osteopatia Visceral:

Azia

Obstrução intestinal (prisão de ventre)

Hérnia do Hiato

Ptoses viscerais

Alteração do ciclo menstrual/Dores menstruais

 

“O funcionamento do Homem é uno e indivisível. Qualquer que seja a alteração de um orgão, repercutirá em todo o organismo” – Dr. Still (“Pai” da Osteopatia)

 

Rita Fernandes

Osteopata