A Associação de Aposentados da Bairrada apresentou, na tarde do passado sábado, no Cineteatro Messias, o livro «Vivências e deambulações culturais», distribuído por dois volumes e editado pela Câmara da Mealhada. Uma obra que retrata as duas décadas de existência da associação e que contém «pequenas porções de etnografia, antropologia e cultura», referiu, aquando da cerimónia de apresentação, Nuno Salgado, um dos associados da Associação de Aposentados da Bairrada.

«Este livro retrata vinte anos de existência da nossa associação, onde misturamos pequenas porções de etnografia, antropologia e cultura, distribuídos por oitenta e cinco capítulos», enalteceu Nuno Salgado, desvendando que foi o Professor Manuel Abrantes quem «manifestou o desejo de irmos partilhando tudo o que fomos fazendo nos nossos convívios».

«Todos os que contribuíram para a realização do livro viram aqui retratado o seu trabalho»», sublinhou ainda Nuno Salgado, garantindo serem «uma associação que a brincar faz muitas coisas sérias» e concluindo ainda que, na obra, «prestam homenagem aos grandes reformadores do concelho».

Para Nuno Canilho, vereador da Cultura na Câmara da Mealhada, a Associação de Aposentados da Bairrada é «um conjunto de boas vontades que tem dado um contributo essencial à cultura no concelho da Mealhada». «Foi a entidade que assumiu a tarefa de homenagear diversas entidades e acontecimentos», continuou o autarca, exemplificando com o primeiro centenário do nascimento do Prof. Doutor António Augusto da Costa Simões, em 2003; o primeiro centenário da fundação da Santa Casa da Misericórdia de Mealhada; e o primeiro centenário da I Grande Guerra Mundial.

O vereador da Cultura na Câmara da Mealhada destacou ainda a rubrica «Momentos de Saberes» que, ao longo dos anos, já contou com diversos convidados. «Foi aqui que foram apresentadas as fotografias do dr.º Branquinho que são um clássico e onde o “Xarú” (quadro de honra dos Bombeiros da Mealhada, elemento já falecido) se sentiu mais nervoso por ser convidado e ter grande protagonismo», acrescentou Nuno Canilho, destacando ainda o lado solidário da associação que, entre outras, «já apoiou o Hospital da Mealhada e os Bombeiros da Mealhada». «Este livro, elaborado de forma muitíssimo inteligente, revela maturidade, mas também um nível de juventude, inovação e capacidade de pensar “fora da caixa”», rematou o autarca, informando de que a obra «está disponível, para consulta ou venda, na Biblioteca da Mealhada».

«Foi muito fácil apoiar este livro que é de todos nós e fica para memória futura», disse Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, enaltecendo o papel da associação: «Os que dirigem as coisas utilizando o voluntariado são os grandes heróis da sociedade. Vai ser um prazer ler este livro, onde folheando já aprendi algumas coisas e encontrei um grande amigo, com quem conversava longas horas, o professor Manuel Santos». «Qualquer dúvida que pudesse ter sobre a compra da Quinta do Murtal, hoje dissipou-se com esta referência que fazem a Costa Simões. Aquele espaço poderá homenageá-lo com a Casa – Museu Costa Simões», concluiu o autarca.

 

Mónica Sofia Lopes