A Comissão Concelhia da Mealhada do PCP realizou uma homenagem ao seu militante Augusto Oliveira, que faria hoje, 13 de maio de 2021, 86 anos. “Por sugestão do PCP na comissão de toponímia da Assembleia Municipal, o nome do nosso saudoso camarada Augusto Oliveira foi atribuído a uma rua da freguesia da Pampilhosa, perpetuando assim o seu exemplo e a sua dedicação à luta dos trabalhadores e do povo”, lê-se num comunicado de imprensa da Comissão Concelhia na Mealhada do Partido Comunista Português, que acrescenta que “apesar de colocada há meses, só agora foi possível realizar esta homenagem, tendo em conta a pandemia”.

Estiveram presentes na cerimónia muitos dos seus amigos e camaradas, incluindo a família mais chegada. Mafalda Guerreiro esteve em representação da direção do PCP e António Neves, eleito do PCP na freguesia da Pampilhosa, na sua intervenção, “tocou nos traços fundamentais de Augusto Oliveira, do seu legado e do seu exemplo para as novas gerações”. “Num momento em que o PCP assinala 100 anos de existência, nada mais apropriado do que honrar a memória de um dos seus militantes mais valorosos que contribuíram para o Partido que temos hoje entre mãos”, sublinha o comunicado de imprensa.

Augusto Oliveira integrou a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Mealhada, logo após o 25 de Abril de 1974, que geriu os destinos do município até às primeiras eleições autárquicas em democracia, foi membro eleito na Assembleia Municipal (vários mandatos), membro da Assembleia de Freguesia, dirigente concelhio e regional do PCP, dirigente do Sindicato dos Cerâmicos do Centro com vários mandatos, membro da Comissão de Trabalhadores da Cimpor, membro da Comissão intersindical da CGTP, na Cimpor, membro diretivo do F.C. Pampilhosa, direção dos B.V. de Pampilhosa, entre outras. “Nunca regateou esforços para o trabalho do Partido, fosse na realização de iniciativas, fosse no desenvolvimento da luta ou fosse em tarefas de reforço da organização. O seu sorriso e a sua confiança num horizonte socialista é o que fica na memória de todos quantos tiveram o privilégio de estar com ele”, fundamenta o partido.

Nas palavras de António Neves: “Se o nosso partido se pode orgulhar de comemorar 100 anos de existência, isto deve-se à contribuição de muitos militantes valorosos que, tal como Augusto fez ao longo de toda a sua vida, deram o seu melhor para esta causa tão nobre e tão necessária nos tempos que correm. Pela nossa parte, cá estamos e cá estaremos para honrar a sua memória e continuarmos a erguer bem alto esta bandeira. Fazemo-lo não por qualquer capricho ou mero saudosismo. Fazemo-lo por termos a convicção que o futuro não está no capitalismo que medra em Portugal, na Europa e no Mundo, roubando aos que trabalham para dar aos mesmos de sempre. O futuro está no socialismo e no comunismo. Este partido com este projeto que Augusto Oliveira ajudou a construir, continua profundamente atual. Pela nossa parte continuaremos a luta por esta causa tão nobre! Viva o PCP!”.