O Centro de Saúde e o Hospital Misericórdia da Mealhada foram assaltados na madrugada de ontem, quinta-feira, 3 de agosto, tendo, no total, sido levados cerca de sessenta euros e uma viatura.

No caso do Centro de Saúde da Mealhada, o(s) assaltante(s), e segundo o capitão Cláudio Lopes, comandante do Destacamento Territorial de Anadia da Guarda Nacional Republicana, «levaram cerca de trinta euros e uma viatura express», tendo ainda «sido danificada uma porta» e o espaço ficado «totalmente remexido».

Já no Hospital Misericórdia da Mealhada, que se situa junto ao Centro de Saúde, os furtos têm acontecido com mais regularidade. «Que me recorde, este ano, já foi assaltado três vezes. Vão sempre ao dinheiro da máquina de vending (situada na entrada do serviço das urgências) e uma vez levaram também ferramentas», explicou ainda o capitão Cláudio Lopes, referindo que do aparelho foram levados, desta vez, cerca de 20 euros.

Segundo conseguimos apurar foram também danificadas uma porta e uma janela, o que permitiu a entrada na referida unidade hospitalar. Em declarações ao Jornal da Mealhada, título da propriedade da Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, Bruno Peres, diretor-geral da instituição, descreve que «no assalto de julho» foi partido «o braço da cancela de acesso ao Hospital», tendo o(s) assaltante(s) arrombado «a porta da oficina e roubado várias máquinas, num prejuízo de mais de três mil euros». «Estes crimes estão a ser investigados pelas entidades competentes e nós estamos também, internamente, a tomar medidas de reforço da segurança», afirma o responsável, lamentando que não se consiga impedir que o ato se repita, mas afiançando que a instituição tudo fará «para  garantir que da próxima vez» o trabalho esteja «mais dificultado».

 

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagem de Arquivo