O Município da Mealhada presta o serviço de refeições aos alunos do Pré-escolar e primeiro Ciclo do Ensino Básico, das escolas públicas no concelho, através da contratação de uma empresa do setor. Na passada terça-feira, dia 6 de novembro, foi dia de reunião mensal com os principais agentes envolvidos na matéria, onde se incluíram encarregados de educação e Delegada de Saúde, que manifestaram satisfação no serviço prestado relativamente aos primeiros meses do presente ano letivo.

Guilherme Duarte, vice-presidente da Câmara, orientou a reunião onde apenas se analisou o serviço de refeições

Representantes dos Centros Escolares do Luso e Pampilhosa, dos Jardins de Infância do Carqueijo, Pampilhosa e Quinta do Valongo, da ADELO – Centro Comunitário do Canedo, mas também a Delegada de Saúde da Mealhada, dois elementos da Associação de Pais e Encarregados de Educação e dois membros da empresa Uniself, onde estava uma nutricionista, reuniram, no Salão Nobre dos Paços do Município, a fim de fazerem um balanço pelo serviço prestado. “Há três anos que fazemos isto mensalmente. É importante para nós melhorar sempre as refeições escolares e consideramos que só ‘olhos nos olhos’ o podemos, efetivamente, fazer bem”, declarou Guilherme Duarte, vice-presidente da Câmara da Mealhada, também responsável pelo pelouro da Educação.

“Boa confeção dos alimentos; quantidade suficiente, onde quem quer pode repetir; fruta à descrição; e sopas boas, cremosas e com bastantes legumes” foram alguns dos elogios prestados. “Não temos dúvidas nenhumas quanto à qualidade e quantidade das refeições disponibilizadas às nossas crianças”, elogiou Carlos Maia, coordenador do Centro Escolar do Luso.

Também os dois representantes da Associação de Pais do Agrupamento de Escolas da Mealhada referiram que “as pessoas estão satisfeitas e agradadas com o serviço”.

Do lado dos aspetos menos satisfatórios, houve apelo para uma maior variedade nos pratos servidos, como por exemplo, “rissóis, lombo fatiado, vaca estufada e bacalhau à brás”, sugeriu Carlos Maia. Já a representante da ADELO lamentou “quase nunca haver atum, que é um alimento que os miúdos adoram”. E os representantes dos encarregados de educação alertaram “para o número elevado de refeições com pescada e frango”.

“A experiência é francamente positiva e o objetivo destas reuniões é o de se fazer sempre o melhor para todos”, referiu Guilherme Duarte, garantindo que “uma vez por semana, uma das técnicas do setor da Educação da Autarquia vai, aleatoriamente e sem aviso prévio, almoçar aos três Centros Escolares do município, onde são confecionadas as refeições”. “Para além disso, a empresa assumiu estar presente mensalmente nestas reuniões”, acrescentou o autarca.

E para a nutricionista da Uniself, o plano que a empresa faz “é para ser trabalhado”. “Queremos contribuir para a promoção da saúde, mas também queremos que as crianças comam”, disse, exemplificando que “quando começaram a prestar serviço em Vila Real era quase impossível dar salmão às crianças e hoje não passam sem ele”. “A pescada é efetivamente o peixe que as crianças comem com mais facilidade”, explicou, garantindo que “a empresa tem os seus próprios auditores” e que, por isso, há muito respeito pelos níveis nutricionais, redução do sal e todos os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Educação.

A Delegada de Saúde da Mealhada alertou para os pedidos de “rissóis e croquetes”. “Temos obesidade infantil no concelho e, por isso, temos que os ensinar a ter uma alimentação saudável, com sopas e muito legumes”, apelou.

 

Lanches fornecidos ao 1.º Ciclo são “aposta ganha”

A reunião serviu também para que fossem feitos elogios à nova medida fornecida pela Câmara da Mealhada para os lanches das crianças do 1.º Ciclo dos três Centros Escolares do concelho, que permanecem na escola até às 17h 30m, depois do período das aulas. Guilherme Duarte, vice-presidente da autarquia, referiu “ter sido uma medida tomada depois de sugestão numa destas reuniões”.

“Foi uma aposta ganha, onde as crianças comem com qualidade e satisfação”, referiu Carlos Maia, do Centro Escolar do Luso.

Cada lanche é constituído por um pão com queijo, fiambre ou doce e um iogurte ou um sumo.

 

Mónica Sofia Lopes