A Escola Profissional Vasconcellos Lebre, na Mealhada, tem intenção de se candidatar a um Centro Qualifica direcionado para a formação dos alunos. O assunto foi levantado na última reunião do Conselho Municipal de Educação, onde Nuno Canilho, gerente da EPVL, garantiu “ser uma necessidade do território”.

“Sempre que abrimos um curso há pessoas a ir à escola questionar se podem inscrever-se e terminar o décimo segundo ano”, começou por explicar Nuno Canilho, acrescentando que, ao redor, existe um Centro Qualifica em Coimbra e outro em Anadia, que abriu no ano passado.

“Peço o vosso apoio institucional na força a esta candidatura, para que possamos colocar o ombro um ao lado do outro e colmatar uma necessidade do território”, apelou ainda o gerente da EPVL.

Presente na reunião do Conselho Municipal de Educação, que se realizou na Câmara da Mealhada, na tarde da passada terça-feira, dia 30 de julho, esteve Sónia Pinto, Diretora-Adjunta  do  Centro de Emprego e Formação de Coimbra, que se manifestou favorável à iniciativa. “Do ponto de vista local, vejo com muito bons olhos um Centro Qualifica, que espero que funcione em rede com outros já existentes”, referiu.

Apesar de concordante, Fernando Trindade, diretor do Agrupamento de Escolas da Mealhada, alertou para o risco financeiro que um Centro destes possa causar, relembrando que o Agrupamento já teve um, designado na altura de Novas Oportunidades. “Acho que o tipo de política (financeira) do Ministério a este respeito não tem sido a mais correta”, disse.

Na votação, os membros do Conselho Municipal votaram, por unanimidade, apoiar a intenção da EPVL, uma decisão, aprovada em minuta, e que será um reforço na candidatura que está agora a ser preparada.

Na mesma sessão foi ainda dado um parecer positivo, também por unanimidade, sobre o Plano de Transportes que vigorará, no concelho da Mealhada, no próximo ano letivo de 2019-2020. Para os alunos do 1.º Ciclo, os transportes são gratuitos; no 2.º Ciclo, se os alunos frequentarem a sua escola de influência, o serviço é também é gratuito; e para o 3.º Ciclo, a novidade do Ministério da Educação é a de que todos os alunos que residam a três quilómetros, ou mais, da escola, estejam também isentos do pagamento.

“Os transportes escolares funcionam em carreiras públicas e os circuitos são os mesmos do ano anterior”, disse Guilherme Duarte, vice-presidente da Câmara da Mealhada, garantindo que o concelho da Mealhada “tem cobertura completa em todo o território”.

Pedro Semedo e Nuno Semedo, em representação da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e das Instituições Particulares de Solidariedade Social, respetivamente, alertaram para “os problemas de segurança” no transporte de crianças das referidas carreiras públicas. “Eles são fiscalizados no âmbito do transporte público, sendo as regras muito mais ligeiras do que as do transporte de crianças”, rematou Nuno Semedo.

 

Mónica Sofia Lopes