Foi, na manhã da passada sexta-feira, 31 de maio, na Mata do Bussaco, dado o pontapé de saída, através de um protocolo de colaboração assinado por várias entidades, para criação de Eco Parques Intermunicipais de Recolha de Biomassa e colocação de Eco Pontos para sobrantes provenientes de pequenas explorações, material residual que será depois encaminhado para o  grupo Altri para ser usado como fonte de energia. A medida, já implementada em Góis desde Agosto de 2018, conta com um balanço positivo, onde para além dos três parques existentes desde essa altura, já foram pedidos outros tantos.

O Grupo Altri, os Municípios de Mealhada, Mortágua e Penacova e a Fundação Mata do Bussaco assinaram, na semana passada, na Cruz Alta , no Bussaco, um protocolo de colaboração que possibilitará “a gestão de todos os sobrantes provenientes de pequenas explorações, de trabalhos de jardinagem e da floresta, procurando evitar o seu uso indevido e a perigosidade materializada num alto risco de ocorrências, provenientes da prática comum e generalizada de queimas ou queimadas, que não são autorizadas, temporariamente, na região de Coimbra”.

Na prática, serão colocados depósitos de recolha de biomassa nos três concelhos referidos e um na Mata do Bussaco. “Queremos possibilitar às pessoas levarem o material florestal residual a estes locais de recepção, onde será dado um valor, ainda por calcular, por toda a biomassa valorizada”, começou por explicar, ao «Bairrada Informação», Miguel Silveira, administrador da Altri, acrescentando que, no futuro, será também pensada uma forma de recolha “domiciliária”.

“O que queremos fundamentalmente é criar valor na floresta, começando por proporcionar condições às pessoas, evitando assim a realização de queimadas”, continuou Miguel Silveira, explicando que, numa primeira fase, será “criado um grupo de trabalho, com técnicos da Altri Florestal e do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas”. “Inicialmente serão identificados os locais com mais necessidade para a construção dos parques”, garantiu ainda.

Para além de tudo isto, a Altri tenciona proceder a um ensaio de controlo de acácias em dez hectares de terreno junto às Portas da Cruz Alta, no Bussaco. “Assim, estaremos, entre outras coisas, a promover a redução do risco de incêndio”, concluiu, enquanto os convidados da cerimónia assistiam a uma demonstração de processamento e colheita de biomassa, por um sistema inovador de enfardamento de acácias.

Presente, neste momento, esteve Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, que enalteceu o trabalho da maquinaria da empresa, divulgando que “só a enfardadeira tem um custo de trezentos mil euros”. O representante do Governo anunciou que, brevemente, será lançado um concurso de dezasseis milhões de euros para limpeza de matas públicas nos próximos quatro anos. “Nós queremos que as empresas invistam em maquinaria porque temos noção de que a necessidade de limpeza é uma ideia que vai perdurar”, referiu.

Na ocasião foi também assinado um “Compromisso do Bussaco” entre os Municípios da Mealhada, Mortágua e Penacova, o Grupo Altri, a Associação de Desenvolvimento Local da Bairrada e Mondego (AD ELO), o ICNF e a Fundação Mata do Bussaco, um documento que reverte e consolida num propósito de intenções e de iniciativas, com um objetivo comum, o da valorização da Mata Nacional e Serra do Bussaco.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografias de José Moura em https://www.facebook.com/bairradainformacao/