Depois da derrota frente à Associação Cultural Recreativa e Desportiva Mosteirô, no passado fim-de-semana, Davide Dias, treinador da equipa sénior do Grupo Desportivo da Mealhada não quis continuar a defender as cores verde e branca do clube mealhadense, dando por terminado o seu trabalho de cerca de meio ano. Agora, e com o apoio de todos os capitães dos restantes escalões, seniores e dirigentes do GDM apelam “a casa cheia”, no próximo domingo, frente à equipa de Vale de Cambra.

Ao nosso jornal, Eduarda Pieters, presidente da direção do GDM, elogia o trabalho “técnico e profissional” de Davide Dias, cuja sua ambição era a subida ao campeonato Safina, mas confessa não contar com esta saída repentina, à qual se juntam também alguns jogadores do plantel que tinham vindo com o “mister”.

Sem lugar para lamentações, a dirigente afiança agora “ter o apoio de todos os capitães do clube para colaborar no trabalho da equipa”, também ela abalada com a situação. “Vamos em frente e acredito que vamos fazer um bom campeonato com aqueles que vestiram  e vestem a nossa camisola desde sempre”, adianta Eduarda Pieters, enfatizando “irem dar tudo por tudo para alcançar os objetivos iniciais”.

Ainda na atual época desportiva, a dirigente garante “a apresentação de uma nova equipa técnica”, esclarecendo que “tudo vai ser feito com calma e sem precipitações”.

Para o imediato, a presidente da direção do GDM apela “a casa cheia”, no próximo domingo, 17 de fevereiro, pelas 15 horas, frente aos seniores da Associação Desportiva Valecambrense. “Queremos sócios, família e simpatizantes neste jogo para darem força à nossa equipa neste período de transição”, remata.

 

Mónica Sofia Lopes