O Jornal de Notícias publicou este sábado, 13 de fevereiro, uma notícia intitulada “As Câmaras que não devem nada a ninguém”, onde escreve que “A Mealhada terminou o ano de 2020 sem dividas, com oito milhões na conta e impostos baixos”. Cantanhede também é assinalado, neste lote que foca dez câmaras do país, como um “município bom pagador”.

A notícia afirma que as dez Câmaras do país conhecidas por serem “boas pagadoras” têm em comum “o aproveitamento dos fundos comunitários e a boa gestão da despesa”.

Para a presidente da Câmara de Cantanhede, Helena Teodósio, “o cumprimento do plano e orçamento é a chave do sucesso, mas em ano de pandemia não foi fácil: ‘O ano atípico que se viveu em 2020 obrigou a alterações e revisões orçamentais muito significativas não só do lado da despesa, mas também do lado da receita’”.

Na Mealhada, “o executivo liderado por Rui Marqueiro também fechou 2020 sem dividas e anunciou que tem oito milhões de euros de depósitos bancários. Tudo isto com o IMI no mínimo e graças ‘a um trabalho diário de controlo financeiro eficaz e irrepreensível’, sublinha”.