História, costumes e pontos de atração de cada uma das seis freguesias do concelho da Mealhada foi o mote para uma exposição, promovida pela Fundação Luso, que está patente ao público, desde junho passado, no Casino da vila termal lusense. A mostra – cujo prazo terminaria hoje, mas ficará patente até 31 de outubro, dada a procura – tem também um carácter solidário, com a totalidade das entradas – um euro por cada – a reverter para a requalificação de arte sacra no Convento de Santa Cruz do Bussaco.

Cada freguesia tem uma montra com painéis e artefactos que representam a sua identidade. Do samba ao rancho, passando pela Filarmónica, ou do leitão à agua do Luso com enfoque para o Bolo dos Cornos, nada foi esquecido nesta exposição, totalmente custeada pela Fundação Luso e cujo orçamento se fica entre os quinze e os vinte mil euros. No final, cada freguesia ficará com os painéis que lhe dizem respeito. “Estamos perante uma riqueza muito grande que merece ser partilhada”, declarou, aquando da inauguração, Nuno Pinto Magalhães, presidente da Fundação Luso.

A exposição pode ser vista no Casino do Luso, de terça a sexta-feira, das 10h às 13 horas e das 14h às 20 horas e aos fins de semana e feriados das 15h às 20 horas.

Recorde-se que “desde 2011 que a Fundação Luso organiza anualmente uma exposição no Casino do Luso com uma adesão de milhares de visitantes. Assim foi na primeira edição, sob o tema ‘Luso: Água Puríssima de Charles Lepierre’; em 2012 com  ‘Os 160 anos da Sociedade da Água de Luso’;  ‘Termas de Portugal’ em 2013; ‘Ecossistema Florestal da Serra do Bussaco e o Recurso Hídrico da Água Mineral Natural de Luso’ em 2014;  as ‘Comemorações dos 205 anos da Batalha do Bussaco’ no ano seguinte; em 2016 com a exposição ‘A Influência dos Carmelitas Descalços na Construção da Mata do Bussaco’; ‘Bussaco nas 4 estações do Ano’ em 2017 e, no ano passado sob o tema ‘Convento de Santa Cruz do Bussaco’”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia de José Moura