A voz é o som que resulta de uma ação fisiológica devido à dinâmica entre várias estruturas corporais. O ar dos pulmões sobe pela traqueia, seguidamente passa pela laringe e faz vibrar a mucosa que recobre as cordas vocais e todas as estruturas envolventes, produzindo a voz, que posteriormente é amplificado nas cavidades de ressonância (garganta, boca e nariz). É o principal meio de comunicação do ser humano e é uma das nossas formas de identificação.

Quando a qualidade vocal está alterada, indica-nos que existe também alteração ao nível da estrutura ou do movimento das cordas vocais, que pode dever-se a nódulos, pólipos,…, (origem orgânica-funcional) ou paralisia das cordas vocais (orgânica) ou mau uso ou abuso vocal (funcional).

Este som ao qual chamamos “voz”, faz parte do nosso dia a dia e nem nos apercebemos da sua importância. Já se imaginou fazer a rua rotina diária sem voz? Precisamente por ela ser tão importante e a utilizarmos constantemente todos os dias é que devemos cuidar dela e estar atentos aos sinais de alerta para algum problema.


Sendo assim, como podemos evitar um problema de voz?

  • Beber água a uma temperatura ambiente (1,5l/2l).
  • Repousar e não esforçar demasiado a voz.
  • Aquecer a voz antes do seu uso mais intenso.
  • Falar de forma pausada, respirando de forma adequada.
  • Praticar exercício físico e dormir bem.
  • Ingerir frutas/sumos com as vitaminas A, E e C (como a maçã) para a boa saúde da mucosa laríngea.

Evitar…

  • Gritar e falar durante muito tempo, sem preparação prévia.
  • Falar em ambientes muito ruidosos.
  • Ambientes secos e poluídos.
  • Beber bebidas demasiado frias ou quentes.
  • Beber bebidas com cafeína, álcool e gás em excesso.
  • Falar durante a atividade física.
  • Mudanças bruscas de temperatura.
  • Uso de roupas justas (pescoço e cintura).

 

Para além disso, se tiver os seguintes sintomas por 2/3 semanas, consulte o médico de família ou um ORL:

  • Rouquidão.
  • Esforço e tensão ao falar.
  • Dor ou desconforto na “garganta”.
  • Fadiga vocal.
  • Perda de potência da voz.
  • Diminuição da resistência vocal.
  • Falhas/quebras na voz.
  • Sensação de “corpo estranho”.
  • Dificuldade em produzir sons agudos.
  • Respiração encurtada.
  • Dor ao falar ou ao engolir.
  • Dor perto do ouvido.

 

O Terapeuta da Fala intervém na prevenção da sintomatologia, na cessação dos maus usos e abusos vocais e na prática de saúde vocal.

 

Se tem dúvidas, não hesite em contactar um Terapeuta da Fala.

 

O Terapeuta da Fala pode fazer a diferença!

 

Ana Carina Santos

Terapeuta da Fala

CP- C-057632170