O deputado do PSD Bruno Coimbra, natural do Luso (concelho da Mealhada), defendeu esta terça-feira que o Fundo Ambiental seja disponibilizado para acudir a situações urgentes ou de força maior, nomeadamente aos efeitos da seca que o nosso país atravessa. Intervindo no plenário da Assembleia da República, o parlamentar social democrata relembrou que as “alterações climáticas constituem um dos maiores desafios que a humanidade tem pela frente”.

“Todos sabemos que Portugal é dos países mais sujeitos aos impactos das alterações climáticas e às suas consequências devastadoras. Esta realidade sempre foi muito clara para o PSD, que sempre colocou na sua agenda e na sua ação política, o ambiente e o clima”, enfatizou Bruno Coimbra, na sua intervenção no debate de um projeto de resolução que recomenda ao Governo a criação de um fundo de emergência para as alterações climáticas.

Recordando que cabe ao ministro do Ambiente e da Transição Energética, a gestão, aplicação e direcionamento do Fundo Ambiental, o deputado aveirense exortou o governante a “assumir essa responsabilidade de forma clara”: “o Fundo Ambiental, que já financia diversos projetos nesta área, pode e deve estar disponível para reforços e alocações extraordinárias em situações urgentes ou de força maior”. Nesse contexto, Bruno Coimbra defendeu que o Fundo “deve atender às situações de maior urgência também no quadro das alterações climáticas”

Bruno Coimbra comentou o projeto que o CDS trouxera como a retoma de uma proposta que já fizera aquando da discussão do Orçamento do Estado para este ano. “Uma proposta que tem alguma pertinência, mas que colheu à época a abstenção do PSD” – referiu, a propósito, explicando que o seu partido se abstivera “numa lógica de não sobrecarga das contas públicas, por entender que o próprio fundo ambiental já tem mecanismos e formas de atender a esta prioridade”.

“Fizemo-lo nessa altura, como fazemos hoje. Fizemos propostas, apontámos à implementação de medidas de combate às alterações climáticas e exigimos que a gestão e distribuição do Fundo Ambiental fosse mais transparente.” – afirmou o parlamentar do PSD.

“Todos sabemos que as alterações climáticas constituem um dos maiores desafios que a humanidade tem pela frente” – vincou Bruno Coimbra, recordando que já na anterior legislatura, sob a governação do PSD, “Portugal assumiu um papel liderante a nível internacional, unindo numa única estratégia de crescimento: a economia, o ambiente e a política climática”.

O deputado do PSD recordou ainda que foi na anterior legislatura que Portugal participou na preparação do Acordo de Paris, reviu o Programa Nacional para as Alterações Climáticas e a Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas, e definiu o Quadro Estratégico para a Política Climática, o que fez o país “ascender em todos os rankings internacionais em matéria de política climática, entrando, mesmo, no ‘top 3’ mundial”.

 

Fonte: Assessoria de comunicação do GP-PSD/Aveiro