Quando morei no Brasil deparei-me com uma realidade muito nova e surpreendente para mim: os brasileiros têm imensas “piadas de português”. Normalmente o português, protagonista das piadas, é muito burro e chama-se Joaquim ou “Manoel”.

A parte mais engraçada das piadas é quando os brasileiros tentam imitar o nosso português. E acham que nós estamos sempre a dizer “ora pois”! Este “ora pois” pode ter origem numa personagem da televisão que representava um português e que tinha esta “catch phrase”. Não tenho a certeza disto mas talvez a “culpa” seja do Jô Soares ou do Chico Anísio.

Os brasileiros acham muita graça ao nosso sotaque. Tanto que resolvi começar os meus espetáculos de stand up desta maneira:

“Hoje vamos ter piadas e sotaque portuga, mas fiquem à vontade para rir das piadas também”.

E a fama de os portugueses serem burros não sei bem de onde vem. Penso que remonta à época em que os emigrantes chegavam ao Brasil, vindos muitas vezes do Norte profundo e se deparavam com uma cidade bastante mais desenvolvida que a sua terra natal. E essas pessoas diziam as coisas de forma “muito literal”, segundo os brasileiros.

Dou este exemplo:

“Marcos pergunta ao Joaquim:

– Você viu uma senhora de vermelho dobrando a esquina?

E Joaquim responde:

– Não, quando eu cheguei aqui a esquina já estava dobrada”.

 

A minha teoria sobre a burrice lusitana é outra: eu acho que a explicação remonta ao tempo dos Descobrimentos. Quem foi a primeira “celebridade” portuguesa que os brasileiros conheceram? Foi Pedro Álvares Cabral! O homem tinha UMA missão que era descobrir as Índias. E foi parar ao Brasil. Aliás, ele só tinha de copiar o mesmo caminho que Vasco da Gama percorreu. Nem para copiar ele servia. Ele errou tanto, que a primeira referência que os brasileiros tiveram de um português foi a razão pela qual se inventou o GPS. Eu sei que os homens nunca param para perguntar o caminho mas aquilo foi ir longe demais – literalmente.

Ora pois.

 

Catarina Matos

Mealhadense emigrada na Alemanha

Humorista e atriz