Cerca de três dezenas de alunos provenientes da Polónia, França, Áustria, Chipre e Croácia vão chegar à Mealhada, no próximo domingo, dia 24 de fevereiro, no âmbito do programa Skills 4 Life, do qual a Escola Profissional Vasconcellos Lebre faz parte.

“O Projeto ‘Skills4life’ – ‘Competências para a Vida’ – aborda o problema do desemprego nos jovens e concentra-se em competências transversais, que são essenciais para fazer as pessoas mais ‘empregáveis’ e permitir-lhes encontrar mais facilmente emprego, não só no seu próprio país mas também em toda a União Europeia”. É assim que Joaquim Lopes, responsável pelo programa na EPVL, começa por descrever o projeto, um plano que pretende também “melhorar as competências básicas individuais”, bem como, “as linguísticas e digitais”.

Assim, na próxima segunda-feira, dia 25, o início da manhã está agendado para uma visita à EPVL, seguindo-se um passeio pela vila do Luso e no Parque da Cidade na Mealhada. Depois do almoço, às 14h 30m, a comitiva será recebida nos Paços do Município, seguindo para uma tarde passada no Bussaco. À noite,  decorrerá uma passagem pela escola de samba Sócios da Mangueira que, nesta altura, está nos preparativos finais para os corsos do Carnaval Luso Brasileiro da Bairrada que se avizinham.

A manhã de terça-feira é dedicada ao Aliança Underground Museum, em Sangalhos, no concelho de Anadia, seguindo-se o almoço do Restaurante Pedagógico da EPVL, na Pampilhosa. A tarde será passada em Condeixa e, à noite, o momento-convívio será na escola de samba Batuque, também ela na azáfama dos preparativos em vésperas dos desfiles carnavalescos.

Depois de um dia inteiro em Braga, na quinta-feira, a comitiva irá visitar o Biocant Park, em Cantanhede, e o Instituto Pedro Nunes, em Coimbra. O jantar será no restaurante A Capela, ao som de fado.

No último dia, sexta-feira, 1 de março, as visitas serão na Figueira da Foz e em Aveiro e o final da tarde agendado para as Caves Messias.

Para Joaquim Lopes, “a troca de experiências e boas práticas, as atividades de aprendizagem, os ‘workshops’, as pesquisas e estudos conjuntos, as visitas e reuniões educacionais, bem como a mobilidade dos estudantes e dos professores do projeto permitem o aumento da participação e motivação na aprendizagem”, bem como potenciam “um nível de habilitações mais elevado e uma perspetiva de aprendizagem ao longo da vida”.

De salientar, e segundo a mesma fonte, que “o desemprego entre os jovens prospera na União Europeia. A taxa de desemprego em 2013 para os jovens com idade abaixo dos vinte e cinco anos, nos países parceiros no projeto, era de na Croácia cinquenta por cento, Espanha 55,7%, Chipre 38,9%, Portugal 37,7%, Polónia 27,2%, França 24,8%, a um nível mais baixo na Áustria dez por cento”. “Portanto os nossos países, as nossas escolas, os nossos alunos e os seus pais precisam de projetos cujos objetivos passam pelo aumento das competências transversais para uma maior empregabilidade dos jovens”, enfatiza.

Por outro lado, o programa permite que os professores tenham “a oportunidade de contactar e aprender diferentes abordagens e múltiplas perspetivas sobre competências transversais no currículo de cada país parceiro e colaborar com os colegas europeus sobre a introdução de ferramentas inovadoras no processo de ensino”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia com professores e alunos da EPVL na Croácia em outubro passado