A Câmara da Mealhada aprovou, em reunião do executivo municipal, uma verba de 22 mil euros para assegurar a continuidade, até 2027, do programa VirtuAll. “que procura contribuir para o envelhecimento ativo, saudável, participativo e interativo através da estimulação física e cognitiva, de socialização e de acompanhamento da população idosa”.

Desde 2019 que o VirtuALL está no terreno com 124 sessões, que abrangeram 446 pessoas, realizadas no concelho da Mealhada. “Esta sessões recorrem a diversas atividades, dos jogos à robótica, da realidade aumentada a serious games em 2/3D, para promoverem a estimulação física e cognitiva, a socialização e o acompanhamento da população idosa com vista à melhoria da sua qualidade de vida e bem-estar, contribuindo para o ‘ageing in place’ e para o combate ao idadismo”, lê-se num comunicado municipal, que acrescenta que “neste período participaram utentes das instituições particulares de solidariedade social do Município, mas também pessoas da comunidade das freguesias da Mealhada, de Barcouço, de Ventosa do Bairro e da Pampilhosa”.

Com a aprovação dos 22 mil euros, o Município da Mealhada garante a continuidade do projeto, cofinanciado pela candidatura ao Portugal Inovação Social – Parcerias para o Impacto, para os anos de 2025, 2026 e 2027. Na proposta apresentada ao executivo, aprovada por unanimidade, “são transferidas as verbas alocadas dos anos anteriores para os três seguintes, uma vez que o projeto teve um apoio da Fundação ‘la Caixa’ do BPI”, explicou o presidente da Autarquia da Mealhada, António Jorge Franco, elogiando o projeto que já contou “com reconhecimento nacional e internacional. A equipa da ADELO tem sido extraordinária”.

Também José Calhoa, vereador eleito pelo Partido Socialista, congratulou a decisão, defendendo que o projeto “uma lufada de ar fresco, numa altura de confinamento e restrições”. “Sempre tive gosto que continuasse e parabéns ADELO por este trabalho”, acrescentou.

O VirtuALL foi criado, em 2019, no âmbito do Programa de Parcerias para o Impacto (Portugal Inovação Social), sendo a AD ELO a entidade coordenadora e com a participação dos municípios da Mealhada, Cantanhede, Figueira da Foz, Mira, Montemor-o-Velho e Penacova.

O projeto foi reconhecido quer a nível nacional, quer a nível europeu, com diversos prémios, nomeadamente, em 2020, a integração no European Innovation Partnership on Active and Healthy Ageing, que deu origem ao prémio “Comunidade Pró-Envelhecimento”, da Ordem dos Psicólogos Portugueses, atribuído ao Município da Mealhada. Já em 2022, o projeto foi distinguido com o Prémio de Reconhecimento “Intervenção Social Sénior”.