O Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, acolheu, no passado dia 10 de maio, a primeira comemoração do Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual, numa organização da Delegação de Anadia da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental e da Humanitas – Federação Portuguesa Para a Deficiência Mental, com o apoio do Município de Anadia e do Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo de Sousa.

A sessão de abertura foi presidida pela secretária de Estado da Ação Social e da Inclusão, Clara Marques Mendes, que, na ocasião, explicou que este dia “resultou de uma resiliência e vontade muito grandes da Humanitas em chamar a atenção, através de uma petição, dos deputados da Assembleia da República, para esta causa”. Destacou a importância de celebrar este dia que visa “sensibilizar a população para a deficiência intelectual como uma causa que merece ser tratada com diferenciação”.

A secretária de Estado dirigiu ainda uma palavra de agradecimento a todos os envolvidos nesta causa “pelo excelente serviço público que prestam à sociedade”.

Em representação do Município de Anadia, a vereadora com o pelouro da Ação Social, Jennifer Pereira, considerou este dia como “um marco histórico para Anadia pelo facto de receber a primeira comemoração do Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual”. “Um dia com muito significado e de grande simbolismo em prol das pessoas portadoras de deficiências”, afirmou.

Deixou ainda uma “palavra de gratidão” e de “agradecimento” a todas as pessoas e instituições que trabalham no sentido “de criar as melhores condições de vida e de dignidade às pessoas portadoras de deficiências”, considerando que “estas pessoas devem de ser inseridas em todas as áreas da sociedade”.

Para além de seminários científicos, workshops e a entrega do prémio “Educar para Incluir”, promovido pela Humanitas, as comemorações ficaram marcadas também pela inauguração da exposição de pintura, subordinada ao tema a “Convenção sobre os Direitos das Pessoas Com Deficiência – Princípios, Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais”. As obras resultam de um concurso lançado pela Humanitas, cujo júri elegerá oito das obras expostas, que ficarão perpetuadas num mural, a inaugurar em Anadia, a 3 de dezembro, Dia Internacional da Deficiência. A exposição pode ser visitada no Museu do Vinho Bairrada até ao próximo dia 9 de junho.