Quarta, 24 de abril

16h00 | Biblioteca Municipal da Mealhada

Apresentação do livro “50 Anos do Poder Local em Portugal: Município de Mealhada – sua criação, reforma e integração futura”.  Nuno Salgado apresenta-nos, nesta obra, o que considera uma das grandes glórias da Revolução de 25 de Abril de 1974 e que teve o condão de alterar Portugal de lés a lés: o Poder Local autêntico e democrático.

 

17h00 | Biblioteca Municipal da Mealhada

Apresentação do livro “25 de Abril: 50 anos de Democracia”, da autoria de António Costa Pinto e André Paris. Uma edição que nos leva pelos caminhos da construção da democracia portuguesa, possibilitando-nos recordar os seus sucessos e dificuldades. Esta obra contém as emissões filatélicas «25 de Abril» e «Emissão Conjunta Angola, Cabo Verde e Portugal: 25 de Abril», constituídas por dois selos e uma folha miniatura, incluindo também os selos de Angola e de Cabo Verde.

 

18h00 | Biblioteca Municipal da Mealhada

“Cinema: África Como Eu A Vi”. A memória vai perdendo lucidez com o tempo, mas não apaga as cicatrizes deixadas para testemunhar a violência da Guerra Colonial, que opôs Portugal às nações africanas de Angola, Moçambique e Guiné-Bissau, entre 1961 e 1974. “África, como eu a vi” é um documentário baseado em depoimentos inéditos de ex-combatentes da Guerra Colonial, realizado por Paulo Fajardo e com produção da Camões TV e MDC Media Group.

 

21h30 | Cineteatro Messias

“Alma de Coimbra”. Alma de Coimbra apresentará um concerto constituído por três partes. A primeira será executada pelo Coro, destacando temas imortalizados na voz de José Afonso. Na segunda, o Grupo de Guitarras assumirá o palco, apresentando composições de Carlos Paredes e Artur Paredes. Já a terceira parte, novamente a cargo do Coro, será composta por obras de diversos autores, integrando o repertório habitualmente apresentado pelo grupo.

21h30 | Biblioteca Municipal da Mealhada

4.ª Clássica: “As ondas de abril” – Continuam os filmes clássicos apresentados pela secção de Mealhada do Cineclub da Bairrada. Este mês o filme será “As ondas de abril”, de Lionel Baier.

 

 

 

Quinta, 25 de abril

00h00 | Salva de Morteiros

9h00 | Hastear da Bandeira Nacional

Junta de Freguesia de Barcouço

Junta de Freguesia de Casal Comba

Junta de Freguesia de Luso

Junta de Freguesia de Pampilhosa

Junta de Freguesia de Vacariça

 

10h30 | Hastear da Bandeira Nacional l Jardim Municipal da Mealhada

– Guarda de Honra pelos Bombeiros da Mealhada e Pampilhosa

– Hino Nacional executado pelas Filarmónicas

– Largada de Pombos pelo Grupo Columbófilo da Mealhada e de Barcouço

– Deposição de coroa de cravos junto ao monumento aos mortos em combate do Concelho

– Momento musical (Rubato – Academia de Artes).

10h45 | Sessão Solene da Assembleia Municipal

Inauguração da obra do artista Bordalo ll

“Big Trash Animals” E “Provocative” – Tribunal da Mealhada

 

15h00>20h00 | Alameda do Casino – Luso

“Concerto pela Liberdade”

 

21h15 | Largo do Tribunal da Mealhada

“Esta palavra Liberdade”

“Esta palavra Liberdade” é um espetáculo pluridisciplinar que cruza o teatro, a música, a dança, o vídeo e a luz, com a participação de Associações Culturais do concelho. Trata-se de um espetáculo que preconiza os acontecimentos importantes do 25 de abril no concelho da Mealhada.

Um espetáculo pluridisciplinar que combina a linguagem da luz, som e laser, à linguagem teatral, corporal e musical. Ricardo Regalado, encenador e coordenador do espetáculo, conta-nos «Esta é uma história contada por nós, 50 anos depois do 25 de abril. A história da repressão, da violência do silêncio contra os muros. A paz dos cemitérios, o vazio, a vigilância. Mas é também uma história de esperança, de liberdade. A história que lembra o que foi e o que é. O que mudou nesse dia. Que novo mundo trouxe ao mundo aquele regaço de cravos a bailarem nas ruas de lisboa. É também a história de resistência de tantas e tantas mulheres que nas suas casas, nos seus trabalhos, nas suas vidas, fizeram parte da luta pela democracia. Este espetáculo uniu várias associações do município da Mealhada, para, em palco, construirmos a grande festa da Liberdade.

Esta Palavra Liberdade”, coproduzido pela Associação Escolíadas, GEDEPA Pampilhosa – Grupo Etnográfico de Defesa do Património e Ambiente da Região da Pampilhosa, Associação Filarmónica de Luso, Aguarela de memórias – Companhia de Teatro, Meia Lua – Escola de Artes, e o músico Francisco Saldanha, preconiza os acontecimentos importantes do 25 de abril no concelho da Mealhada, através do levantamento de acontecimentos e de testemunhos.

 

Sábado, 27 de abril | 21h30 | Cineteatro Messias

“Cantar Abril”. O Grupo Coral Magister e a Banda Filarmónica Pampilhosense juntam-se cantar temas de Abril.

1.ª parte Grupo Coral Magister (maestrina Iryna Rybina)

2.ª parte Grupo Coral Magister e Filarmónica Pampilhosense (maestro Daniel Vieira) .

 

Domingo, 28 de abril | 18h00 | Cineteatro Messias

Jacqui Naylor

A intérprete e compositora norte-americana Jacqui Naylor regressa a Portugal com o seu décimo primeiro álbum – “The Long Game”. Os seus álbuns destacam a voz profundamente rica e emotiva numa produção cuidadosamente tratada. Muitas das canções do seu repertório são, por vezes, escolhidas pelos seus fãs mais dedicados. Naylor é conhecida pela capacidade de interpretar, com maestria, um repertório diversificado, reunindo músicas de diferentes géneros e gerações.

 

Terça, 30 de abril | 15h00 | Posto de Turismo Luso – Bussaco

“Luso Clandestino de Álvaro Cunhal” – Visita Guiada

O casal de Santo António, no Luso foi uma casa clandestina do PCP. Nela viveram “Duarte” e “Elvira”, Álvaro Cunhal e Sofia Ferreira. Foi aqui que a PIDE prendeu Álvaro Cunhal e o enviou para o Forte de Peniche, onde protagonizou uma espetacular fuga para o estrangeiro. Luso e o seu lugar na geografia da clandestinidade do PCP e do seu líder Álvaro Cunhal.