A Câmara da Mealhada aprovou o vencimento do coordenador municipal de proteção civil, um cargo que está a ser criado na Autarquia desde o executivo passado, e que se sabe agora passará a ser equiparado à categoria de chefe de divisão.

Recordamos os nossos leitores que o Município da Mealhada aprovou, em junho de 2021, o Estatuto Remuneratório do Coordenador Municipal de Proteção Civil. «Estamos com o processo em mãos e agora há a necessidade de definir a categoria», referiu António Jorge Franco, presidente da Câmara da Mealhada, apresentando a proposta para que o coordenador seja considerado chefe de divisão, com vencimento de cerca de 2600 euros, valor acrescido de despesas de representação.

O autarca disse ainda que «o nome que queremos propor será o de alguém com experiência e competência para o cargo».

Na mesma reunião, que se realizou na passada segunda-feira, dia 7 de março, «o executivo aprovou a atribuição de 13 mil euros à Associação Humanitária dos Bombeiros da Mealhada e de igual montante à Associação Humanitária dos Bombeiros da Pampilhosa», destinados à aquisição de 20 equipamentos de proteção individual.

Em ambas as corporações existem duas Equipas de Intervenção Permanente (EIP), criadas em 2009 as primeiras e em 2021 as segundas, sendo estas as equipas que asseguram, praticamente em permanência, o socorro inicial às populações. Resultam da celebração de protocolos entre as associações de bombeiros, a Câmara Municipal da Mealhada e a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil. Aos bombeiros cabe a gestão e recrutamento dos profissionais, enquanto a Autarquia e a Autoridade Nacional partilham o custo dos salários destes profissionais.

 

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagens com Direitos Reservados