Há um impasse na constituição da Junta de Freguesia de Barcouço, depois de, na noite da passada terça-feira, os dois nomes propostos para vogais, por João Cidra Duarte – eleito presidente pelas listas do Partido Socialista, mas sem maioria – terem sido chumbados pelos eleitos do Movimento Independente Mais e Melhor e pela coligação «Juntos pelo Concelho da Mealhada», que agrega o PSD, CDS, Iniciativa Liberal, Partido da Terra e Partido Popular Monárquico.

Depois da instalação dos eleitos para a Junta e Assembleia de Freguesia, foi votado que a eleição dos vogais para ladear João Duarte seria feita de modo uninominal. Rosa Baptista e Jorge Melo, das listas do PS, foram os nomes sugeridos pelo presidente da Junta que viu as propostas serem chumbadas com os cinco votos contra de ambas as bancadas da oposição com assento no órgão, em detrimento dos quatro votos favoráveis dos eleitos pelo PS.

Já antes da eleição, Ângelo Cortesão, do Mais e Melhor, alertava para o que podia acontecer, sugerindo «uma conversa» entre o presidente e elementos da assembleia «de forma a encontrar uma solução de interesse para a freguesia». João Duarte manifestou a sua posição, afirmando ficar a cargo do presidente da Junta «a sugestão de nomes». «Depois cabe à assembleia a necessidade de eleger ou não os vogais que, neste caso, são pessoas da confiança do presidente», referiu João Duarte, alertando que «a não eleição cria um impasse».

«Queremos precisamente evitar um impasse. A oposição neste momento tem mais votos que a sua lista e podemos criar uma situação que se vai arrastar e não é o que nenhum de nós quer causar», continuou Ângelo Cortesão, interpelado por João Cidra que garantiu que a lista da qual faz parte «foi a mais votada, representando o desejo da população».

Já depois dos dois nomes propostos terem sido chumbados, José Trancho, da coligação «Juntos pelo Concelho da Mealhada», referiu: «Não houve nenhuma vitória escandalosa, nem nenhuma derrota escandalosa. A eleição mostra que a população de Barcouço está completamente dividida. Sugiro que façamos uma pausa para podermos chegar a um consenso na apresentação de uma lista. Temos cultura suficiente para tomar uma decisão acertada. O nosso dever é representar a freguesia para conseguirmos trabalhar».

Também Berta Couceiro, do Mais e Melhor, enfatizou que o «PS foi o mais votado, mas a maioria desapareceu. Calculo que haja vontade que o poder esteja descentrado, até porque isto aqui mudou qualquer coisa». «Queremos criar um grupo de trabalho com pessoas conhecidas. Não queremos barrar o serviço de ninguém. Estamos aqui para trabalhar em conjunto», acrescentou. Do mesmo movimento, Diana Jorge também apelou: «Vamos deixar os egos de lado. Estamos aqui todos para o mesmo».

Ainda houve uma pausa de 15 minutos, mas cujo o resultado foi infrutífero, com João Cidra Duarte a marcar nova assembleia para esta sexta-feira, 22 de Outubro, pelas 21h00.

Segundo o que o Diário de Coimbra conseguiu apurar, poderá estar em cima da mesa das negociações que ao lado de João Duarte, do PS, possam ficar dois vogais, um proveniente das listas da coligação e outro do Mais e Melhor, sendo este o grande entrave para a aceitação de João Duarte.

 

Mónica Sofia Lopes