Rui Marqueiro recandidata-se à Câmara da Mealhada, nas próximas eleições autárquicas, renovando totalmente a atual equipa do executivo, estando como número dois José Calhoa, que já tinha estado na vereação do edil no seu primeiro mandato, de 2013 a 2017. Joana Sá Pereira, atualmente deputada à Assembleia da República, é a candidata à Assembleia Municipal da Mealhada. Já nas Assembleias Freguesias há mudanças em Casal Comba e na Pampilhosa, encabeçando a lista, respetivamente, Nuno Simão e Vítor Glória.

O atual presidente do Município da Mealhada apresentou, ao final da tarde de ontem, na Pedrulha (Casal Comba), o renovado executivo, aquele que levará a votos no próximo mês de setembro, estando assim na corrida a um terceiro mandato. Na lista à Câmara, o autarca tem na equipa José Calhoa, Sónia Oliveira, Paulo Bicho, Luís Tovim, Tânia Melo e Virgínia Melo.

Num discurso em defesa da «democracia» e de apelo na ida às urnas, Rui Marqueiro garantiu ser o atual mandato «o mais difícil» em que se viu envolvido. «Quando penso nas coisas boas, lembro-me da construção da ETAR, dos Mercados da Pampilhosa e da Mealhada e na requalificação do Convento de Santa Cruz, no Bussaco», começou por dizer o candidato, enumerando o que «correu mal»: «Empreiteiros que não cumpriram as suas obrigações; abertura de uma cratera junto ao Pavilhão do Luso com mais de dez metros de profundidade; a tempestade Leslie; e uma pandemia, onde só na Mealhada morreram 54 pessoas».

Num apelo ao voto, Rui Marqueiro declarou: «Votem em democracia, mas não se esqueçam que uma Câmara de minoria terá dificuldade em governar e poderemos voltar à década de 80, em que o Município sofreu um atraso», defendendo também que as candidaturas independentes «nem são carne, nem são peixe».

Joana Sá Pereira, deputada da nação pelo Partido Socialista, encabeça a lista à Assembleia Municipal. «Faço-o por três razões: pela luta contra as desigualdades sociais; pela necessidade de aprofundar o contrato de confiança entre eleitos e eleitores; e pela exigência cívica», referiu a candidata, que ainda acrescentou: «Entre mim e o senhor presidente separam-nos 41 anos, mas não nos separa a vontade de dar voz a todos». «Esta é uma candidatura de futuro que tem apenas a preocupação de trabalhar para melhorar», enfatizou.

Nas Assembleias de Freguesia, recandidatam-se João Cidra em Barcouço; Claudemiro Semedo no Luso; João Santos na União de Freguesias da Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes; e Ricardo Ferreira na Vacariça. Nuno Simão é o cabeça de lista à Assembleia de Freguesia em Casal Comba e Vítor Glória na Pampilhosa, estando a atual presidente – Rosalina Nogueira – nas listas do novo candidato.

Uma das premissas da candidatura será o da desagregação das freguesias da única União no município, medida pela qual Rui Marqueiro já fez saber anteriormente que irá lutar. João Santos, recandidato à Junta da União de Freguesias da Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes, referiu que a sua candidatura «é feita numa freguesia com morte anunciada», mas que isso não será motivo «para ficar parado e não continuar a fazer tudo aquilo que fiz até aqui». «Não é uma posição fácil, mas vamos trabalhar e andar para a frente», afirmou.

 

Mónica Sofia Lopes