A CDU de Anadia volta a apostar em Joaquim Alfredo Pereira Mota para cabeça de lista à Junta de Freguesia de Sangalhos.

“Joaquim Mota tem 50 anos, é técnico comercial, foi o eleito da CDU em Sangalhos no presente mandato e já integrou um executivo entre 2005/2009 como tesoureiro. O seu trabalho é bem conhecido na freguesia onde se destacou em todas as batalhas já no passado, a favor da sua população. Assim foi na luta pela defesa do serviço de atendimento permanente do centro de saúde de Sangalhos que garantia à população um serviço 24 horas por dia. Assim foi na defesa do serviço de urgência do hospital de Anadia. Destacou-se igualmente na luta contra o encerramento do posto de correios dos CTT e em tantas outras causas. Onde os outros candidatos á junta nunca estiveram”, lê-se num anota de imprensa da Comissão Concelhia de Anadia do PCP, que acrescenta: “É assim com grande orgulho pelo trabalho desenvolvido no passado, mas também com uma grande confiança no futuro que Joaquim Mota volta a encabeçar a lista da CDU à Junta de Freguesia de Sangalhos. Infelizmente, a freguesia continua a apresentar um forte declínio na sua população que resulta da falta de investimento em infraestruturas que possam dinamizar a economia. Neste sentido, faz falta uma CDU (reforçada) que possa contribuir com as suas propostas para inverter esta tendência”.

Na nota de imprensa, e para o próximo mandato, a CDU compromete-se, em Sangalhos, “em apostar forte na higiene e salubridade pública. Neste capítulo é urgente colocar mais e melhores ecopontos. A limpeza das ruas e valetas têm sido uma verdadeira pecha do atual executivo, outra questão fundamental prende-se com a necessidade urgente de remover as condutas em amianto que continuam a ser usadas para o abastecimento de água às populações. Na vertente económica, a CDU irá bater-se pela requalificação do mercado de Sangalhos e pela recuperação dos caminhos rurais da freguesia que dificultam e muito o acesso às propriedades de quem ainda as quer cuidar e dai tirar alguma economia. Ainda neste capítulo, a CDU considera que a zona industrial de Paraimo necessita de ser revista com a criação de lotes de maior dimensão por forma a atrair empresas de maior dimensão. Finalmente, como terceira linha prioritária, a CDU irá bater-se por uma maior descentralização dos meios financeiros da Autarquia que permita evitar uma excessiva centralização do investimento e dos meios nas freguesias mais centrais em detrimento das restantes”.