Dois mil e dezoito foi o ano de viragem para a Bairrada no que toca à conceituada publicação mundial Robert Parker – The Wine Advocate. Foi a primeira vez que um vinho da região ultrapassou a fasquia dos 95 pontos: o eleito foi o ‘Nossa Calcário Baga tinto 2015’, que chegou aos 96. Fazendo o balanço dos vinhos provados ao longo do atípico ano de 2020, a publicação voltou a destacar os rótulos da dupla Filipa Pato (enóloga) e William Wouters (marido de Filipa, sommelier e presidente da ASI – Association de la Sommellerie Internationale), sendo que o ‘Nossa Missão Baga Pre-Phylloxera tinto 2016’ não só obteve 95 pontos como foi catapultado para o ‘Top 100 Wine Discoveries 2020’.

O ‘Nossa Missão Baga Pre-Phylloxera tinto 2016’ foi, assim, um dos cem vinhos considerados como grandes descobertas de 2020. Um (DOC) Bairrada entre três vinhos portugueses – ao Bairrada juntam-se dois Douro, um DOC do enólogo Márcio Lopes e um Vinho do Porto com assinatura da Kopke – e 30 mil rótulos das mais variadas e melhores regiões vínicas do mundo, num total de dezoito países. Os três foram distinguidos na categoria de Age-Worthy, que distingue rótulos em que vale a pena investir para guardar, o que significa que têm um futuro risonho pela frente.

O ‘Nossa Missão Baga Pre-Phylloxera tinto 2016’ é um vinho muito exclusivo, tendo sido produzidas apenas 490 garrafas de 750ml (€150,00) e 76 garrafas magnum. Como o nome indica, é um 100% Baga, com origem numa vinha pré-filoxera com 130 anos, plantada em solos calcários. Um vinho com estágio de 18 meses em apenas uma barrica usada de carvalho austríaco. Com pouco 12,7% de álcool, é um tinto elegante e mais suave que o da colheita anterior. Acrescenta profundidade de boca ao já referido ‘Nossa Calcário’ e ganha dimensão com o tempo, no copo e, sem dúvida, na garrafa – com grande potencial de envelhecimento. Um vinho brilhante que mostrará todo o seu esplendor e imponência com sete a nove anos de guarda.

“Um reconhecimento que nos deixa muito orgulhosos, porque sempre que um vinho ou produtor é reconhecido internacionalmente – ou no mercado nacional – é a Bairrada que deixa a sua marca (e território).”, afirma Pedro Soares, Presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada.