Com as novas medidas impostas pelo Governo para combate à pandemia por covid-19, a restauração será um dos setores mais fustigado, cuja implicação maior é da não circulação de pessoas a partir das 13 horas aos sábados e domingos, obrigando os restaurantes a fechar no mesmo horário. Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, em vídeo publicado, esta tarde, apela ao Presidente da República, ao Presidente da Assembleia da República e ao primeiro-ministro, para que “os restaurantes na Mealhada possam laborar até às 15 horas”.

“A Mealhada tem como um dos principais motivos da sua economia a restauração. É um setor absolutamente importante e decisivo para a economia local, regional, mas também tem a sua quota parte na economia nacional”, começa por dizer em vídeo o autarca, referindo que “ao ler tudo aquilo que foi publicado sobre os estados de emergência, sobre confinamento e sobre a resolução do Conselho de Ministros, que criou um conjunto de 121 municípios que ficaram sujeitos a regras acrescidas, queria pedir aos três que pensassem nisto”.

“A Mealhada precisa que os seus restaurantes, pelo menos possam abrir ao fim de semana para servir os seus almoços. Isso só é possível se aos restantes for permitido fechar até às 15 horas”, enfatiza o autarca, garantindo que o encerramento às 13 horas “mata-os completamente”. “Não acredito que essas duas horas tenham uma influência decisiva no combate à pandemia”, diz ainda o edil, concluindo o vídeo: “Peço-vos com humildade, mas muita força de querer, que isso seja permitido aos restaurantes da Mealhada e quiçá a outras zonas que se façam valer pela sua gastronomia”.