Com cerca de 1900 alunos, do Pré-escolar ao ensino secundário, o Agrupamento de Escolas da Mealhada, tal como todos os outros do país, iniciou, ontem, o ensino à distância. Esta semana chegará material informático ao Agrupamento, que ajudará a colmatar as necessidades sentidas em alguns agregados familiares.

Depois de um período de levantamento de informações, nomeadamente dos equipamentos disponíveis em cada agregado, Fernando Trindade, diretor do Agrupamento, explica que «há 18 alunos sem qualquer equipamento e outros ainda que apenas têm disponível um telemóvel e não um computador», salvaguardando a «seriedade que tem que existir nas respostas dos encarregados de educação». «Esta semana vão chegar computadores e hotspots e julgo que, na próxima semana, ficaremos totalmente cobertos a esse nível», afirma, garantindo que a adaptação ao novo sistema «está a correr melhor do que aquilo que esperava». «Nas últimas semanas houve grandes mudanças nas escolas e a necessidade de reorganizar tudo, como criar contas para os alunos e colocar o programa a funcionar. O plano bem organizado, com devida reserva e privacidade, começou efetivamente hoje», referiu.

A verba para o material, agora adquirido pelo Agrupamento, está a ser adiantada pela Câmara da Mealhada, fruto do contrato interadministrativo e em função da verba atribuída mensalmente pelo Ministério da Educação. «Muito desse valor é usado nas despesas correntes da escola que, atualmente, como estão encerradas não necessitam desse montante mensal. Estamos, contudo, a proceder às mesmas transferências para que possam ser canalizadas na aquisição de equipamentos necessários para famílias que não disponham deles», disse-nos fonte da autarquia.

 

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagem com Direitos Reservados