A Depressão é mais comum do que imagina. É uma doença classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como sendo o maior contribuinte da incapacidade para a atividade produtiva, registando em 2015, cerca de 7,5% de todos os anos vividos com incapacidade. A depressão também é a entidade que mais contribui para as mortes por suicídio, que chegam a ser quase 800 000 por ano.

 

Sentir-se triste às vezes pode não significar depressão!

A depressão pode surgir depois de uma perda recente ou de outro acontecimento triste, mas é desproporcional em relação ao acontecimento e prolonga-se por mais tempo do que seria normal.

Um episódio depressivo não tratado costuma durar cerca de seis meses, mas, às vezes, prolonga-se por dois ou mais anos. Os episódios tendem a repetir-se diversas vezes ao longo do ciclo vital.

 

Sintomas da depressão:

▪ Alterações no apetite e oscilações ao nível do peso;

▪ Mudanças no padrão do sono;

▪ Agitação ou retardo na resposta dos movimentos do corpo que é mais notado pelas outras pessoas;

▪ Perda de energia ou sentimento de cansaço ao longo da jornada;

▪ Dificuldade em se concentrar ou tomar decisões;

▪ Sentimento de inutilidade ou culpa excessiva;

▪ Isolamento;

▪ Pensamentos repetitivos de morte ou suicídio.

Compreender a depressão pode ajudar as pessoas a entenderem e lidarem com o transtorno. Tornar-se mais ativo, caminhando e exercitando-se regularmente, pode ajudar, assim como interagir mais com as outras pessoas.

Grupos de apoio podem ajudar oferecendo um fórum para compartilhar experiências e sentimentos comuns.

 

Sempre que necessitar de ajuda/apoio procure a sua Equipa de Saúde.

 

 

Enf.ª Fátima Cruz, Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstetrícia

Imagens com Direitos Reservados