“Está a ser preparado um projeto de execução para intervenção no ‘Pontão da Pampilhosa’”. Palavras de Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, quando questionado sobre o tema, na reunião da passada segunda-feira (21 maio), por Hugo Silva, da coligação “Juntos pelo Concelho da Mealhada”.

Depois de há um ano questionar a sinalização, de controlo de velocidade, colocada no “Pontão da Pampilhosa”, Hugo Silva insistiu agora no mesmo assunto, dizendo até “ter sido falado na última Assembleia de Freguesia”, que se realizou no passado mês de abril.

Um tema que Rui Marqueiro garantiu, na última reunião camarária, estar a ser feito “um bom projeto de execução técnico, com engenheiros que sabem do que estão a tratar”. Uma obra que pretenderá “melhorar a infraestrutura de águas pluviais e algumas zonas ‘descascadas’”, num pontão, que segundo o edil, “é monitorizado pela Infraestruturas de Portugal”.

“Não será uma obra fácil, até porque os comboios passam por baixo, mas acredito que vamos conseguir”, disse o autarca, garantindo que “se soubesse que havia algum perigo no Pontão, mandava-o fechar!”.

Rui Marqueiro acrescentou ainda que, no caso dos vereadores da coligação quererem estar presentes na próxima reunião com os projetistas, “o convite fica feito!”. “Só não criem ondas de descontentamento e que isto seja um assunto político, porque, com isso, só o Município é que perde e não vale a pena!”, apelou, sugerindo “tranquilidade”, até porque o que vai ser feito é uma forma “de prevenir algumas situações que daqui a vinte anos podem ser graves!”. “Tudo está a ser tratado nos devidos ‘timmings’”, enfatizou.

Também Sónia Branquinho, da coligação, questionou a falta de passeios “na rua que vai desde o Campo Germano Godinho até ao Pontão”. “Há falta de passeios e, em ambos os lados, passam águas pluviais”, referiu.

Arminda Martins, vereadora na Câmara da Mealhada com a responsabilidade das Obras, disse estar “a ser preparado um conjunto de passeios desde o Vale de Santo António até ao cruzamento entre o Pontão e os semáforos”. “Como achamos que a obra do Pontão pode levar ao levantamento do tabuleiro, ainda não contemplámos essa parte”, afirmou ainda, acrescentando que, “na sua opinião, não se deve interferir naquela zona sem se definir o projeto do Pontão”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia capturada no início de 2017