O pontapé de saída para as obras de requalificação na Secundária da Mealhada, um edifício com mais de meio século, foi dado na manhã de ontem, dia 9 de maio, e contou com a presença da secretária de Estado Adjunta e da Educação. Uma obra no valor de cerca de oitocentos mil euros que terá duração de seis meses e que é liderada pelo Município por força do contrato interadministrativo de transferência de competências assinado com o Governo.

“Hoje está a fazer-se história! É a primeira vez que será feita intervenção nesta escola, de ensino público secundário, com dinheiros públicos”, disse Fernando Trindade, diretor do Agrupamento de Escolas, referindo-se concretamente ao valor avultado do investimento.

Elogiando o papel da Câmara “ao aproveitar esta oportunidade única”, o dirigente alertou a comunidade educativa, que ontem esteve presente na assinatura do auto de consignação da empreitada, para os constrangimentos inerentes às intervenções. “Sabemos que não vamos ter aulas sempre dentro da normalidade, mas vamos minimizar e cooperar com a empresa construtora”, acrescentou.

Alexandra Leitão, secretária de Estado Adjunta e da Educação, começou por dizer: “Hoje é o primeiro dia do início das obras, mas é também o culminar de um processo moroso com burocracia muito complexa”. “Houve um trabalho invisível de quase dois anos, muito facilitado pelo altruísmo e generosidade desta autarquia. São obras que ‘não enchem o olho’, mas melhoram muito a vida das pessoas”, elogiou.

P5098446No seu discurso, Rui Marqueiro, presidente da Câmara, enalteceu o facto, de o Município que preside “ter aproveitado a janela de oportunidade que foi aberta e, assim, conseguir recursos para intervencionar em jardins-de-infância e na escola secundária”. “Esperemos conseguir o mesmo para as Escolas Básica 2,3 da Mealhada e da Pampilhosa”, acrescentou.

Os trabalhos adjudicados incidirão sobre dois pontos estratégicos: “Melhorar a mobilidade dentro da escola, bem como toda a parte da eficiência energética», referiu a vereadora Arminda Martins.

A empreitada, iniciada ontem, tem um prazo de cento e oitenta dias, e um custo de seiscentos e cinco mil euros “só de obra de construção civil”, acrescendo cerca de mais duzentos mil euros “de custos com projetos e assistência técnica”.

Os trabalhos incidirão sobre casas de banho, receção, escadas interiores, envidraçados, será instalado um elevador e serão colocadas protecções ao frio e calor de forma a proteger as salas de aula da escola. Será ainda requalificado o sótão, que será transformado em espaço utilizável, e o balneário (interior e exterior), bem como o seu acesso. Serão criadas condições para melhoria do acesso pedonal à escola.

Pavilhão Gimnodesportivo será o passo seguinte

P5098461As obras na Secundária da Mealhada não se esgotam com a intervenção, apresentada ontem, uma vez que a Câmara da Mealhada está a finalizar um projeto para construção de um Pavilhão Gimnodesportivo, junto ao balneário do estabelecimento de ensino.

Segundo Arminda Martins “será um edifício de traça moderna”, ao qual a autarquia se está a preparar para aproveitar para “depois procurar financiamento”.

 

Textos de Mónica Sofia Lopes

Fotografias de José Moura