A Feira Medieval regressa, no próximo dia 10 de maio, ao centro da cidade de Anadia, para uma grande festa com início na Quinta-feira da Ascensão ou Dia da Espiga, feriado municipal, e que se estenderá até sábado, dia 12, numa organização da Câmara Municipal de Anadia.

Como habitualmente, as Praças do Município e Visconde de Seabra, e os arruamentos que para elas convergem, serão o cenário privilegiado para as diversas atividades que preenchem o vasto programa do certame e que levarão os visitantes numa viagem no tempo até ao reinado de D. Dinis.

Arruadas musicais irão marcar, pelas 10 horas de quinta-feira, dia 10, a abertura oficial desta concorrida feira dedicada ao vinho, onde os comeres, os beberes e os artefactos da região aguardam pelos forasteiros nos espaços entregues às juntas de freguesia, instituições particulares de solidariedade social (IPSS), mercadores e artesãos. A animação não vai faltar nesta comemoração do feriado municipal de Anadia e avançará pela noite dentro: cortejos, arruadas, recriações históricas, encenações, danças, trovas, exposições e espetáculos com animais vão garantir um dia bem preenchido.

No dia seguinte, sexta-feira, o mercado reabre pelas 10 horas e o programa festivo regressa durante a tarde, com mais novidades: torneios de armas, uma ceia, e teatro de fogo juntam-se ao programa.

O último dia de feira, sábado, tem atividades planeadas para todo o dia: a par do mercado, dos comes e bebes, da dança e da música, os “contemporâneos” de D. Dinis e da Rainha Santa vão desfilar em cortejos, dramatizar acontecimentos da dos finais do século XIII e início do século XIV, e mostrar a sua mestria no combate com armas.

Também os visitantes terão oportunidade de trajar “à época”, estando as vestes disponíveis para empréstimo no Centro Cultural de Anadia, nos dias 10 e 11 de maio, das 10h às 22h 30m, e no sábado, das 9h 30m às 23h 30m.

Tal como nas anteriores edições da Feira Medieval de Anadia, a Câmara Municipal de Anadia conta, nesta iniciativa, com a preciosa colaboração das Juntas de Freguesia, IPSS e de outras entidades do concelho.

 

PROGRAMAÇÃO

 

10 de maio (quinta-feira)

10 horas – Abertura da feira e arruadas musicais pelas ruas do burgo com “Xamaril”

11 horas – Cortejo com elementos da nobreza, do clero e do povo, em que podem participar todos os artistas presentes e demais forasteiros, devidamente trajados (Bombarda).

12 horas – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

12h 30m – O vôo da águia: exibição de animais (Bombarda)

13 horas – Acusações de bruxaria (Bombarda – na área das tasquinhas)

13h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

14 horas – Al Barbad e o seu ajudante Al Quesusti: espetáculo de répteis (Bombarda) acompanhado com arruada “Xamaril”

14h 30m – Danças e bailias. Bufões malabaristas, curandeiros, povo (intriguistas e barulhentos) e homiziados (Bombarda – na área das tasquinhas)

15 horas– Aclamação dos termos de aceitação da tenência de el-rei D. Dinis sobre o reino do Gharb Al-Andalus, conforme o Tratado de Badajoz firmado ainda em vida de seu pai, el-rei D. Afonso III, e o seu avô, el-rei D. Afonso X de Leão (Viv’Arte).

15h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

16 horas – Ambulante com cobras (Bombarda)

16h 30m – Danças e bailias. Bufões, malabaristas, curandeiros, povo (intriguistas e barulhentos) e homiziados (Bombarda – na área das tasquinhas)

17 horas – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

17h 30m – Cortejo régio com el-rei D. Dinis, pelas ruas do burgo (Viv’Arte)

18 horas – Leitura da procuração, redigida no Condado de Barcelona, relativa ao régio esposamento e anúncio dos banhos reais, aprazando-se a assinatura do contrato nupcial para Castelo de Vide e os termos de acolhimento para Trancoso (Viv’Arte)

18h 30m – Visita do meirinho, almotacé e alvazil às tendas dos mercadores para verificação dos pesos e das medidas da vara, do côvado e do palmo, fazendo-se acompanhar pela milícia de homens de armas do almoxarife (Viv’Arte)

19 horas– Encontro de trovadores: cantigas de amigo e de maldizer (Viv’Arte – na área das tasquinhas)

19h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

20 horas – Taverna Lusitania Brava: entre taverneiros, cozinheiros e farinheiros, a típica taverna dos fregueses da região com serviço especializado, de tudo e do melhor, e de maior requinte, encontra-se no arraial com o seu vinho, petiscos, outras iguarias, e muita banha da cobra! (Bombarda – na área das tasquinhas)

20h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

21h 30m – Ataque ao burgo por uma mesnada castelhana e seu resgate pela milícia de homens bons conduzida pelo próprio rei (Viv’Arte)

22 horas– Arruadas musicais pelas ruas do burgo

22h 30m – Melodias moçárabes e danças mouriscas (Viv’Arte)

23 horas – Teatro de fogo: uma taverna virada do avesso (Viv’Arte)

24 horas – Encerramento do mercado

 

11 de maio (sexta-feira)

10 horas – Abertura da feira

17h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

18 horas – Torneio de armas e adubamento de cavaleiros (Viv’Arte)

18h 30m – Por ordem d’el-rei D. Dinis, criam-se os corpos de Besteiros do Conto e entregam-se as bestas aos vilãos do concelho, para defesa do termo. Ajuramentação e adubamento dos homens de armas (Viv’Arte)

19 horas – Bailias e momices. Danças mouras nos terreiros (Viv’Arte)

19h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

20 horas – À mesa com el-rei D. Dinis: ceia medieval como moldura a todos os sucessos que então se passaram, desde a chegada do rei e os festejos do povo e principais da vila, com arraial, falcoaria e danças palacianas (Viv’Arte)

20h 30m – Família rural: uma família de camponeses, pastores e agricultores criticam tudo e todos, entrando sempre em conflito e causando o caos por todo o espaço; entre os seus afazeres e vivências quotidianos, comentam a vida alheia, alimentando muita intriga (Bombarda – na área das tasquinhas)

21 horas – Diabruras dos truões, em acrobacias levadas da breca (Viv’Arte)

21h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

22 horas– El-rei D. Dinis acolhe a embaixada de gentis-homens mouros que subiram do reino do Gharb Al-Andalus em preito de vassalagem ao monarca (Viv’Arte)

22h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

23 horas – Melodias dos trovadores. Abrem-se as pipas de vinho e frigem-se as febras na brasa. A festa entra efusivamente pela noite dentro, à luz dos tocheiros e outras luminárias, com danças de fogo e harmoniosos atrevimentos dos menestréis e tangedores de alaúde (Viv’Arte)

23h 30m – Teatro de fogo: o milagre das rosas (Viv’Arte)

24 horas – Encerramento e ronda dos aguazis (Viv’Arte)

 

12 de maio (sábado)

10 horas – Abertura da feira e arruadas musicais pelas ruas do burgo

10h 30m – Venda de frescos: em dia de arraial, a colheita de frescos é levada à vila, sendo vendida pelas ruas (Bombarda)

11 horas – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

11h 30m – Torneio militar: demonstração de destreza no manuseamento de armas, inserido no espetáculo de “Liça” (Bombarda)

12 horas – Torneio de armas apeado: apresentação de escudeiros de linhagem e adubamento de novos cavaleiros; demonstração de destreza no manuseamento de armas de corte e de ataque (Bombarda)

12h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

13 horas – Ambulante com animais: exposição de vários répteis (Bombarda)

13h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

14 horas – Cortejo régio pelas ruas do burgo. Leitura dos termos em que foi redigido o Tratado de Alcanices, apartando-se as terras raianas entre o reino de Portugal e o de Leão e Castela, segundo foi acordado por el-rei D. Dinis e seu primo, o soberano leonês (Viv’Arte)

14h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

15 horas – A poesia trovadoresca no reinado de D. Dinis e a influência provençal: as cantigas de amigo e as cantigas de amor (Viv’Arte)

15h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

16 horas– Torneio de armas entre cavaleiros de Portugal e de Castela (Viv’Arte)

16h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

17 horas – Agasalho dos peregrinos de Santiago de Compostela, com a régia presença de D. Isabel de Aragão (Viv’Arte)

17h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

18 horas – As músicas da berberia pelos mouros do Gharb Al-Andalus (Viv’Arte)

18h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

19 horas – Manda el-rei D. Dinis que a língua portuguesa seja usada em todos os documentos oficiais do reino. Outorgamento régio, datado de 1297, das terras conquistadas por D. Paio Peres Correia, Grão-Mestre da Ordem de Santiago (Mértola, Beja, Aljustrel, Almodôvar, Tavira, Castro Marim, Cacela e Silves) – estas terras serão, doravante, comenda da Ordem de Santiago, com a nobre demanda de as povoar e defender. Envio de emissários a dar conta desta demanda (Viv’Arte)

19h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

20 horas – Danças e bailias. Bufões, malabaristas, curandeiros, povo (intriguistas e barulhentos) e homiziados (Bombarda – na área das tasquinhas)

20h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

21 horas– A leveza das bailarinas no frontispício da alcaidaria (Viv’Arte)

21h 30m – Arruadas musicais pelas ruas do burgo

22 horas– Rapto das monjas e seu resgate por uma milícia de homens bons (Viv’Arte)

22h 30m – Encenação de julgamento: condenação de hereges e bruxas (Bombarda)

23 horas– Arruadas musicais pelas ruas do burgo

23h 30m – Agradecimento aos participantes e viandantes com festa de encerramento (Viv’Arte)

24 horas – Encerramento da feira

 

Fonte: Município de Anadia