“Cem anos de simpatia” é assim que é descrito Norberto Pais Pinto da Silva Rocha pelo Centro Social Comendador Melo Pimenta, no Luso, instituição onde está, depois de ter dedicado mais de cinquenta anos à Cozinha nas unidades hoteleiras de Alexandre Almeida. Um “filho da terra” que este domingo, dia 6 de maio, terá uma festa, com toda “a pompa e circunstância”, para assinalar o seu centenário.

Nascido no Luso a 6 de maio de 1918, em casa de seus pais, Luís da Silva e Emília Rocha, na actual Rua Marinha de Moura Pimenta, Norberto Rocha estudou na Escola Primária de Luso, onde concluiu a quarta classe. Nunca escondeu que gostaria de ter continuado os seus estudos, o que acabou por não acontecer devido às dificuldades económicas dos progenitores.

E é por isso que a sua “longa carreira profissional na hotelaria” teve início apenas com onze anos, quando trabalhou “como ‘grumete’ na portaria do Palace Hotel do Bussaco, onde enfrentou a ‘severidade’ de um chefe de portaria, de nacionalidade Suíça, como gosta de recordar…”.

Foi, aliás, no Palace do Bussaco que deu “os primeiros passos na cozinha, caminho que o levaria a Chefe de Cozinha nos Hotéis de Alexandre de Almeida, seu único patrão em mais de cinquenta anos de trabalho”. Hotel Miradouro no Bussaco, Hotel Astória em Coimbra e Palace Hotel da Curia foram unidades por onde passou.

Aos vinte e três anos casa com Laura Ferreira, matrimónio do qual resultaram dois filhos: Carlos e Luís. “Chegou entretanto a hora de rumar a Lisboa, onde se instalou com a sua jovem família, para viver grande parte da sua vida pessoal e profissional e continuar a sua brilhante carreira, percorrendo praticamente todos os grandes estabelecimentos hoteleiros da cadeia Alexandre de Almeida”, disse, ao «Bairrada Informação», Céline Lopes, do Centro Social Comendador Melo Pimenta, no Luso.

Reforma-se aos sessenta e cinco anos, depois de cinquenta e cinco de trabalho, onde percorreu “todos os patamares da cozinha até ao topo da profissão”. Passou pelo Aeroporto, Hotel Frankfort, Hotel Europa, tendo terminado a carreira no Metrópole.

Nesta altura, regressa à sua terra natal, onde residiu com a sua esposa, na Catraia de Luso, até esta falecer. A 1 de fevereiro de 2000 procura “o convívio e apoio” do Centro Social Melo Pimenta. “O ‘senhor Norberto’, como é tratado e conhecido na comunidade lusense, é uma pessoa que irradia simpatia, de uma grande afabilidade e cortesia, postura que lhe grangeia manifestações de grande carinho e amizade, por parte de todos com quem convive”, acrescenta a mesma fonte.

Orgulhosos do percurso do seu utente, os responsáveis pelo Centro Social Comendador Melo Pimenta, bem como a família de Norberto Rocha, querem assinalar a data centenária com “pompa e circunstância”. Assim, pelas 11h 30m haverá uma missa em honra do aniversariante, na Igreja do Luso, seguindo-se um almoço, aberto à comunidade, a partir das 13 horas, no restaurante do Parque de Campismo.

Os interessados, em mais informações, devem contactar os números de telefone 231 930 500 e/ou 231 107 551.

 

Mónica Sofia Lopes