O projeto EcoCharger apresentado pelo curso Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos da Escola Técnico Profissional de Cantanhede foi o vencedor do concurso municipal de empreendedorismo que decorreu no auditório da Biblioteca Municipal, em 12 de março, no âmbito da quinta edição do Concurso Intermunicipal de Ideias de Negócio promovido pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC).

A tecnologia desenvolvida pelos alunos daquele estabelecimento de ensino consiste “num carregador para dispositivos móveis que, além de mais económico e seguro, reduz a energia elétrica usada nessa operação, contribuindo para a preservação do meio ambiente. A grande inovação prende-se com o facto de, sempre que os dispositivos móveis estiverem totalmente carregados, cessa a transmissão de corrente elétrica, impedindo assim um gasto desnecessário de energia, ao mesmo tempo que aumenta a segurança, pois reduz a hipótese de os dispositivos sobreaquecerem e provocarem situações de incêndio e/ou explosão dos mesmos.

A fase concelhia do Concurso Intermunicipal de Ideias de Negócio decorreu ao abrigo do programa “Educação Empreendedora nas Escolas” promovido pela CIM-RC e envolveu a participação de cerca de 150 alunos e 13 docentes de três escolas do concelho de Cantanhede, designadamente a Escola Técnico-Profissional de Cantanhede EB Carlos Oliveira – Febres e a EB/Secundária João Garcia Bacelar – Tocha.

Inicialmente foram apresentadas 16 ideias de negócio, 10 das quais disputaram a final municipal. O projeto vencedor, o EcoCharger desenvolvido pelos alunos do curso Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos da Escola Técnico Profissional de Cantanhede, irá à final intermunicipal da CIM – Região de Coimbra, que se realiza nos dias 24 e 25 de março, em Oliveira do Hospital, num registo de BOOT Camp.

Pela primeira vez, o concurso contemplou também a participação de estudantes do 2.º CEB, tendo neste âmbito sido distinguido o projeto Arte & Design apresentado por alunos do 5.º ano da EB Carlos Oliveira e que representará o Município de Cantanhede, na final da categoria, em Condeixa-a-Nova, no dia 26 de maio. A ideia consiste na valorização de um ofício com forte tradição no concelho, a ourivesaria, através do contacto dos jovens intervenientes com várias gerações de ourives, tendo em vista a criação de uma linha de produtos/peças de joalharia a partir de materiais reutilizados.

Na sessão de apuramento municipal realizada no auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede esteve presente Pedro Cardoso, vice-presidente da Câmara Municipal e responsável pelo pelouro da Educação, que abriu os trabalhos com uma mensagem de incentivo e confiança aos jovens participantes. Na ocasião, o autarca sublinhou “a importância da educação para o empreendedorismo no processo educativo, e o interesse do desenvolvimento deste tipo de projectos e construção de ideias, de forma participada pelos alunos, tendo presente que são desafiados a avaliar oportunidades, a mobilizar recursos, a assumir riscos e a concretizar iniciativas diferenciadas e de sucesso”.

Segundo Pedro Cardoso “este concurso constitui mais uma oportunidade para as escolas promoverem junto dos alunos uma cultura favorável à aquisição de conhecimentos e ao desenvolvimento de atitudes, capacidades e valores promotores do espírito empreendedor, nomeadamente, inovação, criatividade, organização, planeamento, liderança, trabalho em grupo, responsabilidade, visão de futuro, assunção de riscos, resiliência e curiosidade científica, entre outras.”

O Concurso Intermunicipal de Ideias de Negócio visa sensibilizar e motivar os jovens para as práticas empreendedoras, proporcionando-lhes uma experiência em ambiente competitivo, promovendo o trabalho em equipa e o espírito de iniciativa e dinamismo nos concelhos envolvidos no projeto. O objetivo central é a angariação de ideias de negócio de diversos sectores de atividade, que tenham viabilidade económica, social e ambiental. Apesar de não se perspetivar que as ideias apresentadas tenham como consequência imediata o desenvolvimento de um negócio/criação de empresa por parte da equipa que a apresenta, pretende-se que seja demonstrada a exequibilidade prática e potencial dos projetos em causa.

 

Fonte: Município de Cantanhede