Tiago de Castela, de trinta anos, natural de Sernadelo, no concelho da Mealhada, é Técnico de Radiologia no Hospital da Luz, em Lisboa. Recentemente esteve em Viena, na Áustria, a apresentar um trabalho científico, no maior Congresso Europeu de Radiologia. Este trabalho, resulta da participação numa equipa multidisciplinar que engloba Médicos e Técnicos de Radiologia, e teve como tema o exame de ressonância magnética de corpo inteiro, um método de imagem médica, que “pode ser utilizado em Oncologia para descobrir tumores ou estadiar os já conhecidos”.

O congresso juntou cerca de trinta mil profissionais de saúde, de todo o mundo, bem como representantes de várias marcas de equipamentos de imagem médica. Tiago de Castela esteve lá e ao «Bairrada Informação» contou a sua experiência.

Na génese da participação “esteve a apresentação de um trabalho que desenvolvemos de otimização de um protocolo de ressonância magnética de corpo inteiro, exame sem radiação, que significa que não faz mal à saúde”.28783101_1604921729544546_6884882809425494016_o

“No Hospital da Luz estamos a tentar tornar este exame o mais otimizado e disponível possível, sendo que já o fazemos com alguma regularidade. Temos os meios tecnológicos e humanos, especializados neste tipo de exame”, declarou, ao nosso jornal, o jovem.

Tiago de Castela garante que a apresentação no Congresso “correu bem” e que “à escala do que fazemos em Portugal, o estudo mostra que funciona e que é uma mais valia que fica à disponibilidade do Doente e do seu Médico”. “Na generalidade os nossos resultados vão de encontro aos de outros países da Europa”, enfatiza.

E esta ressonância, defende o Técnico de Radiologia, é, para além de tudo, “uma alternativa, mais uma opção….”. “Claro que há limitações… Na generalidade as pessoas que usam ‘pacemaker’ ou próteses metálicas podem não conseguir realizar este exame, bem como as que não se sentem bem em sítios apertados, fechados, também não vão conseguir”, explica, garantindo, contudo, que “o facto de o exame não ter radiação” é benéfico, por exemplo, “para crianças e grávidas”.

Tiago de Castela elogia ainda o Hospital da Luz, que diz “estar sempre aberto a alternativas de evolução, criando as condições, para que possamos dar sempre a melhor resposta a quem o procura”.

 

Mónica Sofia Lopes