Sabia que o Terapeuta da Fala não trabalha só com crianças?

O Terapeuta da Fala é o profissional que intervém desde o recém-nascido até ao idoso. Muitas pessoas apenas têm conhecimento do trabalho deste profissional ao nível das crianças. No entanto, as restantes faixas etárias também podem beneficiar da intervenção do Terapeuta da Fala.

  • Comunicação – Esta pode estar afetada quer na criança, quer no adulto, traduzindo-se na impossibilidade do uso da fala e/ou da escrita para Quando isso acontece, como se comunica com os outros? O Terapeuta da Fala intervém instalando um sistema aumentativo e/ou alternativo à comunicação. Para além da Perturbação do Espectro do Autismo ou outras síndromes, também pessoas com doenças degenerativas do Sistema Nervoso Central podem necessitar destes sistemas.

 

  • Linguagem – As alterações a este nível podem ocorrer durante o desenvolvimento da criança ou após acidentes neurológicos, como é o caso do Acidente Vascular Cerebral (AVC), Traumatismos Crânio-encefálicos (TCE), entre outros. A Afasia é um exemplo de uma consequência destes acontecimentos que se define como uma perturbação da linguagem que pode afetar quer a expressão, quer a compreensão.

 

  • Fala – Mais especificamente na articulação, as dificuldades são devidas à imaturidade dos músculos orofaciais ou a alterações neurológicas (como os AVC ou os TCE). A Disartria é uma perturbação motora da fala devido ao comprometimento do movimento dos músculos utilizados nesta tarefa, incluindo os lábios, língua, pregas vocais e/ou

 

  • Voz – Não são apenas as crianças que têm alteração da qualidade vocal, isto é, uma alteração ao nível da estrutura ou do movimento das cordas vocais. Os adolescentes, os adultos e os idosos podem apresentar nódulos, pólipos, entre outra (de origem orgânico-funcional), paralisia das pregas vocais (orgânicas) ou mau uso e abuso vocal (funcional).

 

  • Fluência – Quando existe alteração da fluência do discurso, esta deixa de ter uma velocidade normal, de ser suave e harmoniosa, originando as chamadas gaguez (caracterizada por repetições, bloqueios,…) e taquifémia (fala demasiado rápida).

 

  • Motricidade – Esta área é o “exercício físico” dos músculos orofaciais, ou seja, está relacionada com o desenvolvimento e reabilitação dos órgãos fonoarticulatórios (língua, lábios, bochechas,…) e região cervical, que influenciam as funções estomatognáticas (a sucção, a mastigação, a respiração e a fala).

 

  • Deglutição – Atribui-se o nome Disfagia à perturbação da deglutição que pode ocorrer em diferentes fases do processo: fase oral (onde há sucção, mastigação e passagem dos alimentos para a “garganta”), fase faríngea (havendo reflexo da deglutição e encerramento das vias aéreas para evitar a aspiração) e fase esofágica (condução do alimento através do esófago para o estômago).

 

É importante estar atento! A intervenção no momento certo, pode fazer a diferença!

 

Ana Carina Santos

Terapeuta da Fala

CP- C-057632170