Iniciar a utilização do bacio e largar as fraldas é uma enorme aventura que, regra geral, demora algum tempo e requer uma boa dose de paciência e bom senso por parte de todos os envolvidos.

Assim sendo, qual é o momento indicado para habituar a criança ao bacio?  

Não existe uma resposta concreta a esta pergunta. A ida ao bacio deve ser quando a criança se encontra física e emocionalmente preparada. Nesta fase, pais e educadores, têm um papel importantíssimo e precisam de atuar em conjunto para identificar os sinais de maturidade da criança para ajudá-las e orientá-las no uso do bacio e/ou da sanita.

Não nos podemos esquecer que a habituação ao bacio ou o largar da fralda não acontece de um dia para o outro nem de “qualquer maneira”. A criança tem de entender o porquê e para quê da utilização do bacio, portanto, não deverá ser obrigada a permanecer sentada causando, assim, a sensação que não está a corresponder as expectativas dos adultos.

Imagem1Por tudo isto, e para evitar que esta experiência seja difícil para a criança, este documento surge como como uma forma de esclarecer e orientar os Pais e cuidadores durante este período.

 

Primeiramente, é importante compreender e conhecer os sinais de maturidade que a criança deverá apresentar:

         Sinais Físicos:

         Faz muito chichi de uma vez só (e não um bocadinho de cada vez);

         Faz cocós mais sólidos em horários mais ou menos regulares;

         Fica com a fralda seca durante 3 a 4 horas;

         Estar consciente das suas necessidades, antes de fazer, agachando-se, escondendo-se.

         Consegue despir-se sozinha, baixar as calças, tirar a fralda, baixar e subir as cuecas.

 

 

Sinais comportamentais, emocionais e sociais:

         Fica incomodado quando a fralda está suja;

         Dá sinais físicos e sonoros de estar a fazer cocó;

         Consegue ficar sentado durante 5 minutos na mesma posição;

         Gosta de usar o bacio;

         Revela autodomínio;

         Não demonstra resistência a ideia de usar o bacio ou a sanita;

         Tem capacidade de entender uma ordem simples.

 

Sinais linguísticos:

         A criança compreende instruções complexas;

         Sabe diferenciar o chichi do cocó;

         Sabe nomear o chichi e o cocó.

 

Estes são alguns dos sinais para percebermos se a criança está pronta ou não para largar a fralda. No entanto, não têm de estar todos presentes para o início da utilização do bacio.

Para facilitar a utilização dos bacios devemos seguir alguns critérios fundamentais para que a criança não associe o bacio a algo negativo, como por exemplo:

         A utilização do bacio deverá ser feita sempre às mesmas horas e apenas durante 5 a 15 minutos. A criança pode ter um livro ou brinquedo durante este tempo e não deverá nunca estar sozinha;

         É importante motivar a criança festejando sempre que fizer chichi ou cocó no bacio, não sendo permitida a punição/humilhação quando tal não acontece;

         A criança deverá ver o que fez (o tradicional “Adeus ao chichi!”) e posteriormente deitar na sanita;

         Sempre que acontecer um “acidente” a roupa deve ser imediatamente mudada sem fazer “má cara”;

         A maioria das crianças consegue controlar a eliminação diurna de fezes e urina entre os 18 e os 36 meses. O controlo da eliminação nocturna é mais tardio, dependendo da maturação das funções orgânicas durante os ciclos de sono e do seu equilíbrio emocional e afetivo.

 

Práticas a ter em comum com as educadoras:

         Traga o seu filho com roupas práticas, para que ele próprio se consiga despir-se sozinho – evite jardineiras e body’s (substitua por camisola interior);

         Traga o seu filho vestido com cuecas por cima da fralda;

         Traga sempre várias mudas de roupa completas: camisolas, calças, cuecas, meias e uns sapatos (porque durante o período do desfralde pode acontecer ficarem molhados com os “acidentes”);

         No caso de estar no período do desfralde seja sempre coerente, isto é, não faça “batota” e não coloque a fralda em situações que lhe possa dar mais jeito;

         Nos primeiros tempos não devemos deitar o chichi ou cocó fora com a criança a ver, dado que, ao fazer no bacio, é como se seja um presente, pelo que a criança não perceberá porque está a deitá-lo fora. 

 

Este período é muito importante para a criança e, por isso, deve ser feito com muito carinho e respeito pelo ritmo da criança.

Desta forma, é muito importante existir cooperação e compreensão entre a instituição e a família!

 

Artigo de Daniela Nunes – Educadora de infância na Creche do Centro de Assistência Paroquial da Pampilhosa

Imagem de capa: shara_tissi (pixabay.com)