Um ano depois de se deslocarem à reunião pública da Câmara Municipal, os moradores da Rua Adriano Henriques, na cidade de Anadia, voltaram ao mesmo órgão, na manhã de 17 de janeiro, com a mesma insatisfação. No role das queixas, está o excesso de velocidade a que os veículos passam  no troço e as multas de estacionamento que têm acontecido por parte dos agentes da Guarda Nacional Republicana. Sobre o primeiro, e depois de “esgotadas” as tentativas para resolução do problema, Teresa Cardoso, presidente do Município, admite remeter o assunto à Autoridade Nacional da Segurança Rodoviária.

A Rua, uma extensa avenida, tem duas lombas, uma ao início e outra no final da reta, sendo que, pelo meio, tem uma passadeira com dois sinais luminosos, um deles que “impede” os veículos de excederam o limite de cinquenta quilómetros por hora. Os sinais luminosos foram, aliás, uma posição tomada pelo anterior executivo, também liderado por Teresa Cardoso, há poucos meses, após a “visita” dos moradores a uma reunião camarária.

DSC04766Mas para quem ali vive, o problema está “bem longe” de estar resolvido. “A velocidade ali é um grande problema. É perigoso ver a velocidade a que os autocarros, cheios de crianças, por ali passam”, referiu um dos moradores, alegando que “a primeira lomba não resolve nada e deveria estar duzentos metros mais abaixo”.

A presidente da autarquia lamentou “ser caricato que o Município seja o responsável e tenha que resolver um problema que cabe aos automobilistas”. “Os senhores quiseram uma passadeira e ela está lá…”, disse.

Mas os moradores consideram que “a tentativa para resolução do problema, ‘não deu certo’”. “A passadeira que lá está, deveria ser uma lomba. Há carros a passarem ali a cento e tal quilómetros por hora com os condutores a falarem ao telemóvel”, lamentam.

A presidente da Câmara alegou, “não poder colocar todas as ruas com lombas, até porque isso causa constrangimentos a quem anda de bicicleta e de motorizada, mas principalmente às ambulâncias que vão em emergência”. “Julgo que isto é um caso de estudo e vou remeter o assunto à Autoridade Nacional da Segurança Rodoviária”, disse.

Os acidentes, “inúmeros”, como dizem, são outras das preocupações. “Ainda há pouco tempo houve um acidente com uma mota e o condutor teve que levar oito pontos”, alertaram os moradores, lamentando ainda que não têm “local para estacionar”. “Quando o fazemos, à porta de casa, muitas vezes, somos multados pela G.N.R., que devia passar lá mais vezes, mas para ver à velocidade a que os carros andam”.

Ao «Bairrada Informação», o  Capitão Cláudio Lopes, comandante do Destacamento Territorial de Anadia da G.N.R., explica que o controle da velocidade é feito pela Brigada de Trânsito e que desconhece os “inúmeros” acidentes, até porque, garante “de 1 Julho de 2017 até às 16h 30m do dia 16 de janeiro de 2018, apenas tivemos uma única participação de acidente naquele local”.

Sobre as multas de estacionamento, o capitão Cláudio Lopes explica ainda que está a ser cumprido o código da estrada, “para que o trânsito seja feito de forma ordeira”, acrescentando que “haverá reforço de patrulha no local, a pedido da autarquia”.

 

Mónica Sofia Lopes