O primeiro passo para que Anadia se torne “Cidade Europeia do Desporto” foi dado há um ano, com o Município a manifestar, a sua intenção, à Associação Portuguesa das Cidades Europeias do Desporto. Seguiu-se, pouco tempo depois, a apresentação pública, no decorrer da primeira edição da “Feira do Desporto, Saúde & Bem-Estar / Anadia 2017”. Agora foi a vez da iniciativa envolver os representantes de mais de cinco dezenas de entidades do concelho anadiense que, em conjunto com a autarquia, ajudarão no processo de candidatura, que tem que estar concluído em novembro deste ano.DSC02409

O auditório do Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, recebeu, no passado dia 10 de janeiro, uma sessão de esclarecimento sobre as iniciativas a desenvolver em matéria de operacionalização do “Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo”. Representantes de associações desportivas do concelho, juntas de freguesia, federações residentes no Centro de Alto Rendimento de Anadia, estabelecimentos escolares, Hipódromo da Bairrada e ginásios estiveram presentes nesta sessão.

Jorge Sampaio, vice-presidente da Câmara, que presidiu a reunião, “deu a conhecer as mais-valias da candidatura para o concelho e para as próprias coletividades”, referindo que o Plano é um “documento orientador daquilo que deverá ser o futuro desportivo do concelho”.

O autarca salientou, e segundo nota de imprensa do Município, que, “nos últimos anos, tem sido feito um grande investimento em infraestruturas desportivas, tanto do setor público como do privado, que ‘ronda os cinquenta milhões de euros’”, enaltecendo o facto de Anadia “ser um concelho com um tecido associativo muito forte e uma oferta desportiva extremamente rica e importante”.

O também responsável pela área do Desporto no Município explicou que a candidatura “não faz sentido” sem a presença dos agentes presentes na sessão, sendo este “um prémio de reconhecimento por todo o trabalho que as associações têm feito”. Apelou para que façam chegar à autarquia “projetos que achem importantes, para incluir na candidatura e também para colocar em prática até 2020”.

O processo de candidatura, que tem que ser entregue em novembro de 2018, tem como objetivos gerais: “Conhecer as necessidades dos clubes; monitorizar os clubes com vista à adequação dos apoios camarários às suas reais necessidades; incrementar e incentivar o desporto para todos; saber que tipo de relação existe entre os clubes e a população local; qualificar os clubes; Anadia ser palco de grandes eventos desportivos nacionais e internacionais”; e ter uma forte aposta no “turismo desportivo”.

 

Mónica Sofia Lopes