A Mealhada foi, no programa da Tômbola de Natal da A.C.I.B.A. – Associação Comercial e Industrial da Bairrada e Aguieira – deste ano, o concelho com maior adesão de comerciantes onde, “contas feitas”, foram gerados, em trinta e sete estabelecimentos comerciais do Luso, Mealhada e Pampilhosa, “pelo menos quatrocentos mil euros”. Depois do sorteio de ontem, na Câmara da Mealhada, hoje, dia 12 de janeiro, pelas 18 horas, acontece no Paços Município em Penacova e, na próxima segunda-feira, em Mortágua.

A A.C.I.B.A., numa parceria com a Câmara da Mealhada, contou com a sexta edição da Tômbola de Natal, uma iniciativa que pretende impulsionar o comércio, numa altura, exclusivamente, direcionada para as compras. “Tudo o que se pode fazer em prol do comércio é importante”, defendeu, na tarde de ontem, Carlos Pinheiro, presidente da direção da A.C.I.B.A., garantindo que “a atividade de cada comércio, bem como as pessoas que lá trabalham também são fatores essenciais”.

Na prática, desde o início de dezembro até ao passado dia 6 de janeiro, quem fizesse pelo menos quinze euros em compras nos estabelecimentos aderentes da Tômbola (que este ano apenas abrangeu os associados da A.C.I.B.A.) recebia uma senha para colocar numa pequena caixa. Depois de recolhidas todas as senhas, em cada comerciante, juntaram-se numa “mega tômbola” onde, ontem Carlos Pinheiro e Nuno Canilho, vereador na Câmara da Mealhada, “retiraram” quatro clientes sorteados, cujos nomes serão divulgados brevemente, após respetiva autorização.DSC04734

Assim, o primeiro prémio, no valor de trezentos euros em compras, foi registado na Casa da Bicharada, na Mealhada; o segundo, de duzentos euros, na Agropet na Pampilhosa; o terceiro, cento e vinte e cinco euros, na Ruben Sport na Mealhada; e o quarto, de setenta e cinco euros, na Manuel Pires Faria, na Pampilhosa.

O valor de cada prémio pode ser gasto apenas nas lojas aderentes ao projeto no concelho da Mealhada e, na prática, o cliente faz a compra, pedindo a fatura com os dados da A.C.I.B.A., entidade que mediante a apresentação deste documento, “devolve” o dinheiro ao cliente.

Para além disso, este Natal, a A.C.I.B.A. propôs ainda que, em cada estabelecimento, fosse feito um sorteio, cujo vencedor terá direito, nos mesmo moldes, a quinze euros em compras.

Na cerimónia, Nuno Canilho destacou “o facto do concelho da Mealhada, num mês e em apenas trinta e sete lojas, ter gerado mais de quatrocentos mil euros”, o que garante ser “um número por baixo”. “Se pensarmos que um cliente que fez compras no valor de vinte e nove euros e que só teve direito a uma senha, nestas contas está contabilizado por apenas quinze euros, mas comprou quase o dobro”, explicou o vereador da Câmara da Mealhada, garantindo “ser muito positivo pensar-se neste valor”.

“Obviamente que todos gostaríamos de muito mais, mas parece-me bastante simpático este número”, disse ainda.

E Carlos Pinheiro partilha da mesma opinião. “Parece-me que o comércio tradicional já passou os seus momentos mais difíceis”, disse, considerando que este tem sido “um trabalho feito pelos comerciantes, mas também autarcas, a Associação e o público em geral”.

Filomena Oliveira, proprietária da Mennah Cabeleireiros, a única comerciante presente na cerimónia, referiu também que “a Tômbola é uma ajuda e um incentivo, que também é muito feito pelos próprios lojistas para que os clientes atinjam, pelo menos, o valor de quinze euros por cada senha”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagem de capa: Câmara da Mealhada