O cirurgião plástico Biscaia Fraga plantou uma árvore, no dia 9 de janeiro, na Mata Nacional do Bussaco (M.N.B.), uma floresta pública do concelho da Mealhada que é candidata a Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

“Plantar uma árvore – no caso, um abeto (Abies sp.) – numa Mata Nacional tão bonita e tão mágica, junto a um majestoso palácio que é Monumento Nacional e deixar aqui esta tão importante e significativa marca pessoal é algo de emocionante e especial para mim”, afirmou, no final da plantação, aquele que é um dos melhores cirurgiões plásticos das vertentes estética e reconstrutiva do mundo e o único cirurgião plástico em Portugal condecorado com a Grande Ordem Honorífica de “Grande Oficial” da Ordem de Mérito.

António Gravato, presidente da Fundação Mata do Bussaco (F.M.B.), depois de salientar o facto de se tratar do primeiro médico a plantar uma árvore, no Bussaco, no âmbito do programa de reflorestação “Criar Raízes”, classificou o ato como “um momento honroso e de elevado prestígio para a Mata Nacional”. “Estamos na presença não só de um cirurgião de créditos reconhecidos, que além da Clínica Biscaia Fraga, dirige o Departamento de Cirurgia Plástica e da Cabeça e Pescoço do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, mas também na presença de um ser humano de qualidades muito raras”, destacou presidente da F.M.B.

O vice-presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Guilherme Duarte, que assistiu à plantação da árvore, sublinhou sobretudo a dimensão humano de Biscaia Fraga: “é uma pessoa de uma dimensão moral proporcional à sua grandeza profissional, circunstância que prestigia a M.N.B”.

Recorde-se que, segundo a F.M.B., a iniciativa das plantações de árvores por figuras públicas visa, por um lado, “contribuir para a reflorestação do Bussaco” e, por outro lado, “dar um sinal aos portugueses da necessidade de todos contribuirmos para a preservação do meio ambiente”.

A plantação do abeto por parte de Biscaia Fraga enquadra-se, por isso, no projeto de reflorestação “Criar Raízes” que a F.M.B. tem vindo a desenvolver na M.N.B., a única floresta pública portuguesa a receber a certificação FSC (gestão florestal ambientalmente adequada, socialmente benéfica e economicamente viável).

Pedro Abrunhosa, Marisa Liz (Amor Electro), Assunção Cristas, Maria de Belém, José Cid, Rui Reininho, Marco Paulo, Sofia Aparício, Rui Veloso, Luís de Matos, Luís Represas, Maya, José Luís Peixoto, Eládio Clímaco, Dina Aguiar, Isabel Medina, Eduardo Beauté, Paula Magalhães e Carla Andrino foram apenas algumas das figuras públicas nacionais que plantaram recentemente árvores no Bussaco. Também uma equipa de futebol dos Emirados Árabes Unidos e um grupo de investigadores chineses plantaram uma árvore, recentemente, no Bussaco.

Lembre-se que todo o trabalho de limpeza e reabilitação da Mata decorreu, até há final de dezembro de 2017, no âmbito do projeto BRIGHT – “Bussaco´s Recovery from Invasions Generating Habitat Threats”, com o apoio do Programa LIFE+. Com a sua execução, a FMB visou a conservação/valorização de um habitat relíquia: o adernal, cuja distribuição mundial se circunscreve aos escassos hectares existentes no Bussaco; o controlo/erradicação de flora exótica invasora que ameaça o adernal e demais espécies/habitats da Mata, através de trabalhos de continuidade centrados no ensaio e aplicação de novas práticas de controlo, dirigidas a espécies arbóreas e herbáceas, algumas das quais nunca aplicadas no contexto nacional e outras apenas a escalas mais reduzidas; o envolvimento ativo, nas atividades de conservação/valorização e controlo/erradicação, de diversos públicos e entidades, e da sociedade civil em geral (residentes, alunos, turistas, entre outros), com a perspetiva de assegurar o exercício de uma cidadania ativa e responsável em prol da conservação da natureza e da biodiversidade.

 

Fonte: Fundação Bussaco

Fotografia: José Moura