As Caves São João, de Sangalhos, concelho de Anadia, apresentaram, na manhã do dia 11 de dezembro, no Parque da Cidade da Mealhada, um vinho tinto 100% Baga, que evoca a década dos anos noventa. O produto vínico, 97 Anos de História Caves São João, é o oitavo de uma coleção de onze, que terminará no centenário da empresa, e cuja temática em 2017 é a ambiental.

Integrado no projeto de comemorações do primeiro centenário das Caves de São João, que terá lugar em 2020, a empresa coloca no mercado mais um vinho, agora com o rótulo “97 Anos de História”. Com preço de venda ao público de quarenta e cinco euros, estarão no mercado 3.908 garrafas, todas elas numeradas, em caixa de cortiça e com um marcador de livros explicativo no seu interior.

José Carvalheira, enólogo das Caves São João, começou por dizer: “Num ano em que a maioria dos produtores não se atreveram a fazer vinho tinto, nós estamos cá…”, remetendo parte do sucesso do produto final para o período de estágio: “Doze meses em vasilha de madeira e dezoito meses em vasilha de cimento”

O enólogo enfatizou ainda o facto do “vinho estar enquadrado na história da empresa e da região”, tendo também Célia Alves, gerente das Caves São João, acrescentado que “a sensibilização ambiental é o tema que ilustra o vinho alusivo à década de noventa centrado, na chamada ‘Eco 92’, nas conferências do Rio de Janeiro, que constituíram um marco fundamental para o conceito de desenvolvimento económico sustentável baseado no equilíbrio ecológico”.

O vinho tinto – cujo design do rótulo pretende transmitir a ideia “do homem a proteger o meio ambiente” – começou por ser apresentado junto ao Conjunto Escultórico Megalítico, da autoria do escultor Armando Martinez, no Parque da Cidade da Mealhada. “Escolhemos um local que celebra a Natureza, o misticismo e as divindades que os antigos veneravam em rituais de evocação do equilíbrio entre o Homem e o Ambiente”, referiu também Célia Alves.

Já no local do repasto, no restaurante Magnun’s & Co, também no Parque da Cidade, a gerente da empresa enfatizou o facto “de serem utilizados materiais naturais na embalagem, tais como, a cortiça e o papel”, um “pormenor”, aliás, já da tradição das Caves São João que, desde a década de cinquenta, “utilizam rótulos de papel em cortiça”, em alguns dos seus vinhos.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

 

Legenda da fotografia de capa: Célia Alves, José Carvalheira, Fátima Flores e Manuel José