O sorriso e um bom par de ouvidos são, provavelmente, a ferramenta de primordial importância na vida de um profissional de saúde!

Quando o doente nos procura, seja pelo motivo que for, tem algo que o incomoda! Esse simples facto deve ser motivação suficiente para que possamos saber transmitir a confiança de que ele necessita. A dedicação e entrega genuína a cada caso é a forma mais eficaz de o fazer!… Arrisco-me a dizer que não há outra maneira!

Do mais simples ao mais complicado prognóstico, quando falamos de saúde, falamos, inevitavelmente, de emoções. A dor, seja ela qual for, provoca sofrimento físico e traz limitações que perturbam o estado emocional do paciente… Os sentimentos de tristeza ou sensações de ansiedade das doenças do foro psíquico… a angústia e o medo nos diagnósticos mais complicados… Não há doença que não condicione a forma de sentir! É por isso que, quando recebemos um doente, devemos recebe-lo com um sorriso e a certeza de que o vamos acolher com o melhor que temos!

Não são poucas as vezes que os doentes conversam connosco e no final pedem “desculpa pelo desabafo”. Não há desculpa a pedir… Esse “desabafo” faz parte do diagnóstico e do tratamento. Além de mais, nenhum profissional de saúde é bom, sem ser, antes disso, um ser humano dotado de grande compaixão!

Frequentemente os doentes procuram em nós respostas a questões, clínicas ou não, que nem sempre sabemos responder, dizendo respeito até à sua vida pessoal… é aí que, melhor do que o que possamos dizer, é o que podemos ouvir, e assim permitir-lhes que se ouçam também!… Tantas vezes o segredo está aí, e o doente encontra as respostas em si mesmo, apenas com a ajuda de um “bom par de ouvidos”! Temos sempre um bocadinho de psicólogos em cada um de nós…!

O dia-a-dia de quem lida com a doença, dor, angústias e medos dos outros pode por vezes deixar-nos à mercê de sentimentos menos positivos. Nem sempre é fácil lidar com o sofrimento e manter a mesma disposição! Mas a verdade é que, quando estabelecemos as relações com os nossos pacientes, passamos ser inevitavelmente responsáveis pela sua saúde, e pelo bem-estar que lhes podemos proporcionar… seja conforto físico, emocional, ou ambos! E é essa responsabilidade faz de nós Profissionais de Saúde!!

Ser simpático e bom ouvinte não é um favor que fazemos aos doentes… é um dever e um pré-requisito… tem que ser genuíno e intrínseco!

Bem-haja a todos os profissionais de saúde que, sem esforço, sorriem e escutam! J

 

Paula Gradim

Especialista de Medicina Chinesa