O “II Trail Solidário pela Hipertensão Pulmonar” está acontecer esta manhã de domingo, dia 19 de novembro, em Casal Comba, e conta com a presença da ex-atleta Aurora Cunha. Se no primeiro evento, as inscrições – mais de trezentas – superaram as expectativas, este ano, a iniciativa vai mais além, uma vez que até ao final da manhã de sexta-feira, o número de participantes estava perto dos quatrocentos e cinquenta.

Vêm de todo o lado, de Sul ao Norte do país, para participarem neste evento que, mais do que uma angariação de fundos (o custo por participante é de seis euros e tem a oferta de uma t-shirt), pretende dar ênfase à sensibilização da Hipertensão Pulmonar Tromboembólica Crónica. “Estão inscritas pessoas de Lisboa, Alcobaça, Caldas Rainha e de vários pontos do Norte do país. Para além, disso estamos muito bem representados por Aveiro e Coimbra”, declarou, ao «Bairrada Informação», Teresa Carvalho, da Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar (A.P.H.P.).

O principal objetivo deste evento é sensibilizar para “uma doença rara e de diagnóstico difícil, alertando o público para os principais sintomas e implicações”. Desta forma, “a A.P.H.P. acredita que se poderá evitar a perda de muitos doentes que não se encontram diagnosticados”.

“Está mais do que provado de que o diagnóstico realizado precocemente evita muitos problemas que possam surgir depois”, explicou-nos Teresa Carvalho, enaltecendo o facto “de haver possibilidade de realização de uma cirurgia que ajuda os doentes a terem uma vida perfeitamente normal e provoca a estabilização da doença”. “Tem que ser feita em França, porque em Portugal ainda não se faz, mas é comparticipada pelo Estado”, acrescenta.

“A sensibilização é muito importante”, enfatiza, exemplificando: “Temos um associado (da Mealhada) que se sentiu cansado e quis fazer exames de rotina. Foi num deles que se detetou o problema”. “Fez logo a operação em França e agora a doença está controlada, com o doente a fazer uma vida normal e até algumas caminhadas no Parque da Cidade”, acrescentou Teresa Carvalho.15167637_10206650744410671_3351240384775341893_o

A representante da Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar garantiu-nos ainda “ter um caso, de uma paciente de Lisboa, que até participa em Meias Maratonas a caminhar”. “O difícil é chegar ao diagnóstico. Até lá, os doentes sofrem muito”, lamenta.

Esta iniciativa é apadrinhada, uma vez mais, pela veterana Aurora Cunha, antiga atleta campeã mundial de Estrada e madrinha da Associação.

 

Mónica Sofia Lopes

Fotografias, de José Moura, da edição de 2016