O livro Tuitário é uma compilação de “one liners”* que foram criadas por Catarina Matos ao longo de treze anos, sendo que, algumas delas nasceram quando Catarina ainda era publicitária. As mais recentes já foram apresentadas em palco e na televisão, em Portugal, no Brasil e na Alemanha. Nos seus espetáculos, Catarina faz sempre uma primeira parte “storytelling” encerrando o seu espetáculo com as ditas “one liners”, tanto quando atua em português como em inglês.

Com prefácio de Gregório Duvivier e capa de Gito Lima, este livro é a materialização do sonho de Catarina de ser profissional do humor e representa, também, a evolução do seu material, que foi de quatro leitores do seu blogue, para chegar, diariamente, a mais de cinquenta mil, graças ao Twitter.TuitarioCapa

Na contracapa do Tuitário podemos ler testemunhos de colegas humoristas e comunicadores sobre o trabalho de Catarina, como Fernando Alvim, João Quadros, Filipe Homem Fonseca, António Raminhos (que foi a primeira pessoa a emprestar-lhe um livro sobre escrita para “stand up”, há mais de dez anos).

O livro está à venda em chiadoeditora.com e nas principais livrarias do País, em Portugal Fnac, Bertrand, e no Brasil, na Livraria Cultura e Fnac.

 

Tudo começou no ano de 2004, com a febre dos blogues. No seu blogue, Catarina escrevia one liners na maior parte dos seus posts. O Catwalk (nome do blogue) era “um desfile de ideias vestidas de palavras”. Como já foi referido, o blogue tinha à volta de quatro leitores… um sucesso!

 

*”One liners” são piadas, ideias humorísticas, observações, de uma frase só. É uma linha de texto que encerra algo que faz rir ou sorrir. Escrever “one liners” é uma arte em si mesma, que carece de muita edição, inspiração e economia de palavras. É como escrever haiku (forma curta de poesia japonesa) mas com menos regras e nenhum saké.

 

Ao longo da historia do humor há excelentes comediantes que praticam a arte da “one liner”, por exemplo, Steven Wright, Mitch Hedberg, Demetri Martin, Jimmy Carr, Anthony Jeselnik, e muitos outros. Todos eles são considerados exímios nesta arte que é sobejamente respeitada pela comunidade humorística em geral, já que é preciso um talento especial e muito trabalho de edição e escolha de palavras, noção de ritmo cómico, etc.

 

EXCERTO DO PREFÁCIO POR GREGÓRIO DUVIVIER

“Catarina Matos pertence ao seleto grupo de autores que se dedicam a procurar essas frases raras que fazem rir por si só. Encontrá-las é como descobrir um palíndromo ou um palimpsesto – palavras tão raras que eu não sei ao certo nem o que significam. Esse livro está cheinho delas.

Morro de inveja desse tipo de autor. Todas as frases que me ocorrem são estúpidas. Lá se vão mil caracteres e eu não disse nada que preste. Pego emprestada a palavra com a Catarina: “Não sou boa a tirar conclusões, porque enfim…”

 

BIOGRAFIA

11011023_10206271928933634_6367958882696239298_oCatarina Matos, natural da Mealhada, foi a primeira humorista portuguesa a fazer stand up comedy no canal Comedy Central. Mas antes de chegar aí, ela foi criativa publicitária. E antes de chegar aí, ela formou-se em Psicologia. Mas antes de chegar aí, foi uma adolescente que estudava num Colégio de freiras (em Anadia). Antes de chegar aí, ela foi campeã de natação, ainda era um espermatozóide.

O seu objetivo de vida é ser famosa o suficiente para fabricarem um PEZ com a sua cabeça.

Dizem que se deve começar as biografias pelo começo…

 

Twitter.com/catarinamatos