A madrugada de 1 de novembro, conhecida pela noite de “Halloween”, trouxe “dissabores” para os moradores do Loteamento do Cértoma, em Avelãs de Caminho, no concelho de Anadia, “com todas as entradas dos condomínios e cerca de uma dezena de viaturas vandalizadas com tinta de spray”.

Foi na rede social Facebook, num grupo privado destinado aos assuntos relacionados com Anadia, que Cristiana Fernandes lançou o apelo: “Na noite passada foram praticados atos de vandalismo no loteamento do Cértoma, em Avelãs de Caminho. Peço a toda a gente que tenha visto ou identificado os autores de tais atos que me faça chegar essa informação de modo a anexar a mesma na queixa formal às autoridades competentes”.23004816_1603747852981279_3101207666251199401_o

E a moradora continua o texto, afirmando que “todas as entradas dos condomínios estão vandalizadas, bem como cerca de uma dezena de viaturas (a minha inclusive)” e apelando para o facto de “toda a informação ser útil”. “Aqui mora gente séria e honesta, não vamos ficar imunes a tais atitudes”, conclui na mesma nota.

Contactada pelo «Bairrada Informação», Cristiana Fernandes explica que os moradores “não ouviram nenhum barulho durante a noite” e que foi “pela manhã, ao acordar” que se depararam todos “com o cenário” que designa de “deplorável”.

A moradora lamenta o “aspecto horrível à porta das casas” e garante: “Vamos limpar o mais rápido possível e fazer o possível para que não se volte a repetir”.

Já nos veículos, Cristiana Fernandes explica que pintaram “os capot, grelhas e faróis com tinta spray”. “Acho que o meu é o menos afetado ou então, por ser preto, é o que menos se nota”, acrescentou ao nosso jornal, garantindo que “com um pano húmido a tinta não sai, vamos ver, no fim de semana, com mais calma se conseguimos resolver o problema”.

23031431_1603747652981299_9094980190946443206_nA queixa, tudo indica, que tenha sido formalizada esta sexta-feira, dia 3 de novembro. “Já fui hoje (dia 2 de novembro) à Guarda Nacional republicana, mas como não tinha comigo o livro de atas, onde está o comprovativo de que sou a representante do meu condomínio, o mais afetado por sinal, não consegui apresentar a queixa”, concluiu a moradora.