Quem passou em frente aos Paços do Município de Anadia, durante um período na passada segunda-feira, dia 30 de outubro, viu uma viatura-tanque estacionada, que é a mais recente novidade na frota do comando da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Anadia (AHBVA). Uma viatura pesada que será reforço essencial para as viaturas de combate a fogos florestais e que a população não quis deixar de ver juntando-se, assim, à presidente e alguns vereadores da Câmara de Anadia, bem como de elementos da direção da Associação, onde se encontrava também o seu presidente.Nws_2017_205_1030_CMA_Bombeiros_f1

Denominada de Veículo Tanque Táctico Florestal (VTTF), a viatura, que teve um custo de cento e oitenta mil euros, foi financiada em setenta e cinco por cento pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR). A candidatura foi apresentada pela Associação, entidade que suportou os restantes vinte e cinco por cento do encargo, tendo obtido um subsídio, superior a dezassete mil euros, da Câmara de Anadia e ainda foi “agraciada” com a contribuição benemérita de Manuel Carvalho, emigrante anadiense radicado nos Estados Unidos da América, que, neste país, angariou uma verba de vinte e cinco mil euros para este efeito.

“A nova viatura, totalmente equipada com a mais recente tecnologia e com capacidade para sete mil litros de água, vem, assim, dotar o Corpo de Bombeiros de melhores condições de operacionalidade e de eficácia nas vertentes de actuação, a fim de proporcionar à população do concelho de Anadia uma resposta de qualidade”, lê-se num comunicado de imprensa do Município anadiense.

Teresa Cardoso, presidente da autarquia, mostrou-se satisfeita pelo facto de a associação ter conseguido concretizar este objetivo de “dotar a corporação, com esta viatura, que bem precisam para o combate a incêndios florestais”.

A autarca considerou que as necessidades dos Bombeiros de Anadia passam também “pela requalificação das instalações”, cuja obra está em andamento, e que permitirá “dar mais condições de conforto aos ‘soldados da paz’”; pela “substituição dos equipamentos, que têm vários anos e bastante desgaste; e ainda pela renovação do fardamento de protecção pessoal”.

Ao «Bairrada Informação», Ana Matias, comandante da corporação, garante que “a aquisição de uma viatura é sempre uma mais valia”, frisando que se trata “de uma viatura tanque e não de uma viatura de combate”. “Não acompanhei o processo de aquisição, que foi conduzido pela direção, mas tive oportunidade de a ver, ontem ao final do dia (30 de outubro)”, acrescentou ainda Ana Matias, que explica que agora é sua competência “verificar a viatura e o equipamento entregue  e acompanhar o processo de operacionalização da viatura na ANPC (Associação Nacional da Proteção Civil)”.

A comandante diz ainda que “só após a finalização deste processo a viatura ficará ao serviço do corpo de Bombeiros e consequentemente da população”.

Recordamos os nossos leitores que a Associação dos Bombeiros de Anadia tem a decorrer obras no quartel, uma empreitada orçada em seiscentos e cinquenta e cinco mil euros, que contou também com financiamento aos Fundos Europeus e um subsídio da Câmara no valor de trezentos e cinquenta mil euros.