A coligação “Juntos pelo Concelho da Mealhada” – que agrega o Partido Social Democrata (PSD), Partido Popular (CDS/PP), Partido da Terra (MPT) e Partido Popular Monárquico (PPM) – apresentou, numa sessão pública, ao final da tarde de 2 de setembro, no Jardim Municipal da Mealhada, os cabeças de lista à Assembleia Municipal da Mealhada, às Assembleias de Freguesia, bem como os elementos do executivo municipal, candidatos nas próximas eleições autárquicas de 1 de Outubro.

Hugo Silva, candidato à Câmara, começou por agradecer a “moldura humana motivadora”, garantindo que o que a coligação trouxe “de 2013 para 2017” foi a “união”. Afirmando que a Mealhada é um município “abençoado”, aos níveis geográfico, gastronómico e turístico, disse, contudo, “ser precisa uma mudança”. “O nosso concelho precisa de desenvolvimento económico, crescer na hotelaria e restauração como um todo”, afirmou Hugo Alves Silva, falando também da mobilidade: “É necessário um aumento da mobilidade que leve as pessoas aos espaços municipais. Eles existem, mas muitas pessoas não conseguem lá chegar”.DSC03936

“Vamos querer também que seja feita uma nova sede dos Paços do Município, mas incluindo no valor de cinco milhões de euros, também uma regeneração do centro urbano”, disse ainda o candidato, assumindo-se como “um futuro presidente, próximo e dialogante”.

Em propostas concretas, Hugo Silva enumerou: “O meu Gabinete de Presidência passará uma semana, a cada dois meses, para as Juntas de Freguesia; haverá um provedor municipal que ajudará a resolver as questões mais complexas dos munícipes com o Município; divulgar-se-á publicamente os dinheiros gastos e suas finalidades; vamos garantir uma comunicação onde o Bussaco, o Luso e o Leitão sejam sempre o alvo das câmaras de filmar e fotográficas; voltar-se-á a ter o pelouro das freguesias; mais resposta social; e mais qualidade de vida”.

Gonçalo Vigário Louzada, atual vereador na autarquia e candidato a presidente da Assembleia Municipal, defendeu “um novo rumo para o concelho, sendo a coligação a alternativa ao poder instituído”. “Passaram quatro anos de uma oposição construtiva, onde fomos sérios, mas também questionantes”, disse Gonçalo Louzada, enfatizando “ser este o momento de viragem com pessoas boas, com competências e visões diversas”.DSC03924

“Decidi ficar neste projeto modificador, por entender que posso dar o meu contributo para um concelho mais moderno, mais atrativo e mais forte. Tudo farei para que haja uma garantida aproximação entre os eleitos e os eleitores e que a Assembleia seja um espaço de debate”, acrescentou.

 

Listas em http://www.bairradainformacao.pt/2017/08/07/listas-dos-juntos-pelo-concelho-da-mealhada/