A atriz Carla Andrino irá plantar uma árvore, dia 9 de setembro, às 11 horas, na Mata Nacional do Bussaco (Luso, Mealhada), a convite da Fundação Mata do Bussaco (FMB) e da Câmara Municipal da Mealhada. A iniciativa, que irá decorrer numa floresta pública candidata a Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), visa, por um lado, “contribuir para a reflorestação do Bussaco” e, por outro, “dar um sinal aos portugueses da necessidade de todos contribuirmos para a preservação do meio ambiente”. Recorde-se que a passagem da atriz pelo concelho da Mealhada não é uma novidade, uma vez que Carla Andrino é madrinha da Universidade Sénior CADES (Cooperação Artística, Desportiva, Educativa e Social) há já alguns anos.

Esta iniciativa de plantação de árvores enquadra-se no projeto de reflorestação que a FMB tem vindo a desenvolver na Mata Nacional do Bussaco, a única floresta pública portuguesa a receber a certificação FSC (gestão florestal ambientalmente adequada, socialmente benéfica e economicamente viável).

Pedro Abrunhosa, Marisa Liz (Amor Electro), Assunção Cristas, Maria de Belém, José Cid, Rui Reininho, Marco Paulo, Sofia Aparício, Rui Veloso, Luís de Matos e Luís Represas foram apenas algumas das figuras públicas nacionais que plantaram recentemente árvores no Bussaco. Também uma equipa de futebol dos Emirados Árabes Unidos e um grupo de investigadores chineses plantaram uma árvore, recentemente, no Bussaco.

Recorde-se que todo o trabalho de limpeza e reabilitação da Mata decorre no âmbito do projeto BRIGHT – “Bussaco´s Recovery from Invasions Generating Habitat Threats”, com o apoio do Programa LIFE+. Com a sua execução,  a FMB visa a conservação/valorização de um habitat relíquia: o adernal, cuja distribuição mundial se circunscreve aos escassos hectares existentes no Bussaco; o controlo/erradicação de flora exótica invasora que ameaça o adernal e demais espécies/habitats da Mata, através de trabalhos de continuidade centrados no ensaio e aplicação de novas práticas de controlo, dirigidas a espécies arbóreas e herbáceas, algumas das quais nunca aplicadas no contexto nacional e outras apenas a escalas mais reduzidas; o envolvimento ativo, nas atividades de conservação/valorização e controlo/erradicação, de diversos públicos e entidades, e da sociedade civil em geral (residentes, alunos, turistas, entre outros), com a perspetiva de assegurar o exercício de uma cidadania ativa e responsável em prol da conservação da natureza e da biodiversidade.

 

Sobre Carla Andrino:

Carla Andrino (Lourenço Marques, Moçambique, 7 de agosto de 1966) é atriz, e psicóloga. Enquanto atriz, tem trabalhos de enorme prestígio e reconhecimento na Televisão e no Teatro, em especial na comédia de revista e em séries televisivas de humor. Obteve um grande sucesso ao interpretar Lu na novela A Outra, Maria Manuela de Telles Britto na novela Doce Tentação e na série de comédia Giras & Falidas.

É uma das caras mais conhecidas do humor português pelas suas inúmeras participações em séries e sitcoms, nos vários canais portugueses de televisão generalista.

Participou na peça de teatro rádio musical (integrado na iniciativa noites de teatro modelo 2006) onde trabalhou com Carlos Cunha e Paulo Patrício. Em 2007, integra o elenco da novela da TVI, Ilha dos Amores.

Foi segunda classificada da primeira série do concurso Dança Comigo da RTP 1, derrotada apenas por Daniela Ruah.

Participou no programa Casamento de Sonho da TVI como madrinha.

Em 2008, participa na telenovela A Outra, interpretando o papel de Lu, uma nova-rica que ganhou o EuroMilhões. As suas expressões como “tchanam”, “cansas-me a beleza” ou “deixas-me exaurida” já são comuns no vocabulário dos portugueses.

Em Setembro de 2008, partiu para o Brasil para gravar a novela Negócio da China, da Rede Globo, autoria de Miguel Falabella. Na trama, fez de Carminda, a mulher do padeiro, vivido por Joaquim Monchique. No início de Março de 2009, terminaram as gravações. Apesar das baixas audiências desta produção, Carla Andrino e os seus 3 colegas portugueses que também entraram nesta produção (Ricardo Pereira, Joaquim Monchique e Maria Vieira) receberam vários elogios do público e imprensa, o que permitiu que o núcleo português esteja a ser cobiçado para outras produções brasileiras. No caso de Carla, fala-se numa nova novela.

É Mestre e Doutora pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

 

Depois de Carla Andrino, segue-se, a 11 de setembro, pelas 15 horas, a plantação de uma árvore no Bussaco por parte de Guilherme Figueiredo, Bastonário da Ordem dos Advogados.

 

Fonte: Fundação Mata do Bussaco

Imagem: Facebook “Carla Andrino”