O corpo ativo dos Bombeiros Voluntários da Mealhada foi presenteado com uma viatura auto-escada, de trinta metros, por parte da direção da Associação Humanitária. Tudo aconteceu na tarde deste sábado, 29 de julho, aquando da comemoração do nonagésimo aniversário da Associação, onde a população da Mealhada que ajudou os Bombeiros, aquando do incêndio, que atingiu a freguesia do Luso, no verão de 2016, foi também homenageada. Um Desfile Distrital de Bombeiros na Mealhada, em outubro, e ainda o início das obras no edifício operacional do quartel foram também assuntos referenciados.

Direção oferece auto-escada aos Bombeiros no valor de 47 mil euros

Chama-se “Anita” e é uma auto escada, de trinta metros, que “a direção oferece aos Bombeiros para servirem a população da Mealhada”. “Não vem substituir nenhuma viatura, vem sim complementar a frota existente”, garantiu Nuno Canilho, presidente da direção dos Bombeiros da Mealhada, esclarecendo que “a ‘Anita’ teve um custo de quarenta e sete mil euros”.DSC03511

“Temos um plano de investimento que é usado de acordo com as necessidades. Neste momento, a prioridade são as obras no quartel, mas depois de fazermos as contas e vermos que havia folga para isso, resolvemos presentear os Bombeiros e a população com a viatura”, disse ainda o dirigente.

“Corporações deixaram claro que tinham sido tão bem recebidos como na Mealhada!”

O incêndio que atingiu a freguesia do Luso, de 10 a 15 de agosto de 2016, não foi esquecida nesta cerimónia e Nuno Canilho elogiou: “Temos todas as razões para perceber a relação próxima e intensa que temos com a comunidade. Por isso, não podemos deixar de agradecer às pessoas que estiveram nesses cinco dias. A lista é grande e, por isso, tivemos que reduzi-la somente àquelas pessoas que estiveram sempre no teatro das operações, que foi a Escola Profissional da Mealhada, nessa altura. Para além disso ou nomear muitas delas, corriamos o risco de colocar também aquelas que só lá foram tirar uma ‘selfie’”.

Cláudia Melo; Armando Cruz; António Mesquita; Carla Teixeira; Sónia e Paulo Nabais; Lídia Dias e marido; Andreia Dias; Cristiano Teixeira; Isabel, Rita, Rute e Salomé Mota; Isabel Xabregas; Maria João Saraiva; Escuteiros da Mealhada; Delegação no Concelho da Mealhada da Cruz Vermelha Portuguesa; e Setor Social da Câmara da Mealhada. “Obrigado a estes, mas a muitos outros que por lá passaram e que tanto nos ajudaram a ter algum conforto”, agradeceu Nuno Canilho, referindo ainda o apoio anual da equipa dos Bombeiros na Tasquinha da Feira do Município da Mealhada, “que foi liderada pelo ‘Quim eletricista'”; a Fernanda Graça, Quim Padiola e Ti Arlindo”.

Na cerimónia, Rui Marqueiro, presidente da Câmara, referiu que, “na altura do incêndio no Luso, houve muitas mensagens deixadas por outras corporações, onde ficou claro que nunca tinham sido tão bem recebidos como na Mealhada!”.

Obras no quartel começam no início de 2018 e custam 400 mil euros

Em janeiro próximo, o edifício operacional do quartel “iniciará uma intervenção, que tudo indica que dure seis, sete meses”, explicou Nuno Canilho, referindo-se a uma obra, no valor de quatrocentos mil euros, “apoiada em oitenta e cinco por cento pelo POSEUR (Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos) e em quinze por cento pela Câmara da Mealhada (aproximadamente sessenta mil euros)”. “Depois há muitos outros materiais que vamos precisar, tais como, louça, mobiliário, etc. Aqui, teremos de recorrer à ajuda da população através de peditórios”, garantiu.

Desfile distrital dos Bombeiros acontece na Mealhada em outubro

Mais brevemente, e já em outubro – a 6 ou 13 – haverá um desfile distrital de Bombeiros, assinalando os noventa anos da corporação mealhadense e o Dia Distrital do Bombeiro. “Será na Avenida Dr.º Manuel Lousada, desde a Câmara até aos edifícios do extinto Instituto da Vinha e do Vinho, e terá uma tribuna no meio do percurso”.

“Estarão cento e cinquenta a duzentos bombeiros, com cinquenta viaturas de fora e vinte nossas, de vinte e cinco corporações do distrito”, referiu ainda Nuno Canilho, afirmando “de que não há registo de que alguma vez tenha acontecido isto na Mealhada”.

 

Com galeria de fotografias de José Moura em https://www.facebook.com/bairradainformacao/