O “milagre da vida” é sem dúvida um momento único e mágico na vida de uma mulher. No entanto, é também uma fase delicada pela qual o corpo terá de passar por muitas alterações e a vários níveis.

Ao longo de 9 meses, a grávida ganha peso (o normal será entre 9 a 12 Kg) devido ao crescimento do feto, da placenta e do líquido amniótico. Este aumento de peso poderá levar a dores nas articulações, cansaço muscular e também haverá uma dificuldade na drenagem sobretudo das pernas, o que leva ao inchaço das mesmas.

Nesta fase há uma alteração brusca a nível hormonal, nomeadamente da progesterona, em que esta para além de permitir a implementação e desenvolvimento normal do embrião  (principalmente  no primeiro trimestre), promove o relaxamento da musculatura no momento do parto, para que a expulsão do bebé seja mais fácil. Ao desencadear um relaxamento da musculatura e também dos ligamentos, faz com que as próprias articulações se adaptem à passagem do bebé no momento do parto, no entanto, este processo poderá levar a uma hiperlaxidez dos ligamentos ou a alterações estruturais irreversíveis, que um dia mais tarde, poderão levar a que a Mulher sinta dores ou desconforto.

Devido ao aumento da região abdominal e devido à pressão do feto sobre os orgãos da mãe, também irá levar a alterações do funcionamento dos mesmos o que poderá levar a azia, refluxo, obstipação e até incontinência urinária, nos últimos momentos da gravidez.

Para que esta alteração da bacia seja possível, há também alteração das curvaturas da coluna, que originam as dores de costas que a maioria das grávidas sente. Muitas vezes os músculos sentem dificuldade em se  adaptar às alterações da coluna e o resultado poderá ser a compressão dos nervos, levando a ciática, síndrome do túnel cárpico, juntamente com as dores musculares.

 

Estas são apenas algumas alterações a que a grávida está sujeita e que a Osteopatia pode ajudar. Tentando sempre manter o equilíbrio entre as estruturas, a Osteopatia pode intervir em todas as fases da gravidez, de uma forma cuidada e segura. Ajuda o corpo a adaptar-se a todas estas modificações, de maneira a que esta fase possa ser menos desconfortável possível e que um dia mais tarde, não traga sequelas.

 

Rita Fernandes

Osteopata