A Estação Vitivinícola da Bairrada, em Anadia, recebeu, no passado dia 1 de julho, o quinto Curso de Introdução à Prova de Vinhos no Feminino. A iniciativa, gratuita, foi promovida pela Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, em parceria com a Comissão Vitivinícola da Bairrada e em colaboração com a Associação da Rota da Bairrada.

Inserido no programa do “Anadia Capital Espumante – Feira da Vinha e do Vinho 2017”, o curso abordou várias temáticas, “nomeadamente, os órgãos dos sentidos, o copo de prova, a metodologia de prova, o vocabulário dos sabores do vinho, as fichas de prova, a unicidade dos vinhos Bairrada e, ainda, uma prova comentada de alguns exemplares de vinhos espumantes DOP (denominação de origem) Bairrada”.

Esta iniciativa começou, no dia 24 de junho, com uma prova de espumantes comentada por Luís Lopes, diretor da revista “Vinho – Grandes Escolhas”, que contou com a presença de cerca de trinta pessoas.

“Ao todo foram dados a provar dezoito espumantes, divididos em três categorias: espumantes feitos a partir apenas de castas bairradinas, castas internacionais e, finalmente, os Baga-Bairrada”, lê-se numa nota de imprensa do Município de Anadia.

“No enquadramento da prova, Luís Lopes explicou as circunstâncias do nascimento do espumante em Portugal, em finais do século XIX, lembrando que as primeiras caves a produzir e a comercializar o espumante foram as Caves Monte Castro, em Anadia, em 1893”, continua a mesma informação, que conclui: “Salientou que o ‘boom’ das caves em Portugal aconteceu no decorrer dos anos vinte do século passado, coincidindo com o regresso de muitos emigrantes do Brasil, que investiram aqui o seu dinheiro na fundação de várias caves, como as Valdarcos e Messias”.

Luís Lopes sublinhou ainda outra data importante: a de 1979. “Altura em que foi decretada a Região Demarcada da Bairrada com a denominação de origem do espumante e do vinho”, referiu.